Acompanhe:

Como conseguir pensão alimentícia do meu ex-marido?

Internauta conta que parou de trabalhar por causa do seu marido e pergunta se teria direito à pensão alimentícia

Modo escuro

Continua após a publicidade
EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

E
Editado por Priscila Yazbek

Publicado em 30 de setembro de 2014 às, 06h00.

Dúvida do internauta: Tenho 52 anos e me casei sob o regime de separação total de bens. No caso de um divórcio eu teria direito à pensão alimentícia, visto que eu trabalhava antes do casamento e meu marido não quis que eu continuasse a trabalhar depois de casada? 

Resposta de Rodrigo Barcellos*: 

A obrigação alimentar - ou de pagamento de pensão, no jargão popular - tem por fundamento o dever de “mútua assistência” que é atribuído aos cônjuges no casamento. Está previsto na lei (art. 1.694 do Código Civil), pouco importando o regime de bens adotado pelo casal.

Logo, ao se encerrar o casamento e estando em trâmite as ações decorrentes, como o divórcio, basta que seja demonstrada a necessidade alimentar de um e a possibilidade do outro.

A lei também não faz qualquer restrição temporal. Enquanto for mantida a necessidade do receptor dos alimentos e persistir a possibilidade do alimentante, a obrigação permanece.

Até há pouco tempo, era considerado que o dever alimentar somente terminaria com o novo casamento do credor (artigo 1.708, do Código Civil), pois se supunha que o novo parceiro passaria a responder pela “mútua assistência”, desonerando o cônjuge anterior.

A jurisprudência moderna, no entanto, vem repudiando a obrigação alimentar por tempo indeterminado.

À exceção de hipóteses exctraordinárias, como incapacidade física para o trabalho, ou impossibilidade de inserção no mercado de trabalho, os alimentos devidos ao ex-cônjuge devem ser fixados por um prazo determinado, considerado suficiente para permitir a adaptação do alimentado à nova realidade que o término do relacionamento lhe impôs e a reconstrução de sua vida (STJ, Recurso Especial nº 1.396.957, Min. Rel. Nancy Andrigh).

Assim, caso o divórcio seja inevitável, você terá direito aos alimentos a serem prestados pelo seu marido.

No entanto, você deverá demonstrar a efetiva necessidade dessa pensão e a impossibilidade de se colocar no mercado de trabalho em razão do impedimento imposto pelo seu marido durante o casamento.

*Rodrigo Barcellos é graduado em direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC) e mestre em direito comercial, pela Universidade de São Paulo (USP). É autor do livro "O Contrato de Shopping Center e os Contratos Atípicos Interempresariais", publicado pela editora Atlas. Sócio do escritório Barcellos Tucunduva Advogados, atua nas áreas de Família, Sucessão, Contratos e Contencioso.

Perguntas, críticas e observações em relação a esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie suas dúvidas sobre planejamento financeiro, investimentos e herança para seudinheiro_exame@abril.com.br.

Últimas Notícias

Ver mais
Mega-Sena acumula novamente e prêmio chega a R$ 120 milhões
seloMinhas Finanças

Mega-Sena acumula novamente e prêmio chega a R$ 120 milhões

Há 18 horas

Resultado da Mega-Sena concurso 2.692; prêmio é de R$ 110 milhões
seloMinhas Finanças

Resultado da Mega-Sena concurso 2.692; prêmio é de R$ 110 milhões

Há um dia

Imposto de Renda 2024: quem precisa declarar?
seloMinhas Finanças

Imposto de Renda 2024: quem precisa declarar?

Há 2 dias

INSS inicia pagamento para aposentados; veja datas de pagamento para benefícios acima de 1 salário
seloMinhas Finanças

INSS inicia pagamento para aposentados; veja datas de pagamento para benefícios acima de 1 salário

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais