Invest

Cartões de crédito ampliam oferta de pontos para elevar consumo

Os maiores bancos dos Estados Unidos fazem de tudo para que clientes voltem a aceitar novos cartões de crédito

Guerra de recompensas: consumidores começam a viajar de novo e buscam acumular pontos no cartão de crédito (SeongJoon Cho/Bloomberg)

Guerra de recompensas: consumidores começam a viajar de novo e buscam acumular pontos no cartão de crédito (SeongJoon Cho/Bloomberg)

B

Bloomberg

Publicado em 10 de maio de 2021 às 15h53.

Última atualização em 10 de maio de 2021 às 19h43.

Um bônus de adesão de 125 mil pontos. Créditos para acompanhamento com personal trainer na rede de academias Equinox. Um lounge exclusivo no aeroporto com cerveja gelada. Os maiores bancos dos Estados Unidos fazem de tudo para que clientes voltem a aceitar novos cartões de crédito, depois de suspenderem esse tipo de ofertas ao longo da pandemia de Covid-19.

É o retorno da guerra de recompensas dos cartões de crédito: a American Express está oferecendo um bônus de 125 mil pontos - equivalente a US$ 2,5 mil, um dos maiores valores já oferecidos - para novos pedidos de seu cartão Platinum de luxo. Também oferece vantagens para sessões treinamento virtual com a rede de academias de luxo Equinox. O JPMorgan Chase agora oferece US$ 120 em créditos para se tornar membro da Peloton Interactive. A Capital One Financial planeja abrir seu primeiro lounge de aeroporto para certos titulares de cartões no verão do hemisfério norte, juntamente com um bônus de 100 mil pontos.

Há um ano atrás, quando a pandemia aumentou o desemprego, emissores de cartões reduziram os incentivos quando frearam a busca de novos clientes, temendo que não pudessem pagar as contas, o que obrigaria os bancos a absorver o prejuízo.

Mas com o fluxo de dinheiro do governo e moratórias de pagamento de empréstimos estudantis e de outras contas, os consumidores estão pagando diligentemente os saldos do cartão de crédito e poupando mais.

As perdas temidas pelos bancos não se materializaram. Até mesmo a inadimplência - um prenúncio de baixas contábeis futuras - permanece perto do nível mais baixo de todos os tempos.

Lentamente, consumidores começam a viajar de novo e buscam acumular pontos no cartão de crédito, que costumam ser usados para comprar voos ou reservar hotéis. Os consumidores parecem dispostos a planejar grandes viagens e pegar a estrada: a Mastercard, a segunda maior rede de pagamentos do país, disse que gastos com companhias aéreas dos EUA dobraram nas últimas semanas em comparação com os níveis no início do ano.

“Este ano, certamente estamos voltando a um nível de competição mais normalizado”, disse Roger Hochschild, diretor-presidente da Discover Financial Services, em entrevista.

Danny Funaro, estudante de direito do Brooklyn, Nova York, e prestes a se formar, disse que agora recebe mais ofertas de cartão de crédito. Ele destaca de quais empresas: Discover, Citigroup, JPMorgan. Quase todas vêm com algum tipo de bônus de adesão, normalmente avaliado em US$ 300 ou US$ 500, disse. “Há algumas letras miúdas que nunca leio sobre como conseguir isso”, disse Funaro. “Tenho recebido quase diariamente.”

Acompanhe tudo sobre:administradoras-de-cartoesAmerican ExpressCartões de créditoConsumidoresConsumoEmpresasEstados Unidos (EUA)

Mais de Invest

Balanço do Santander, PMI dos EUA e da zona do euro, Tesla e Campos Neto: o que move o mercado

Mega-sena acumula novamente e prêmio vai a R$ 65 milhões

Santander Brasil tem alta de 44,3% no lucro, que vai a R$ 3,3 bilhões no 2º tri

Veja o resultado da Mega-Sena concurso 2752: prêmio acumulado é de R$ 58,1 milhões

Mais na Exame