Acompanhe:

Três meses após escândalo, ações do Facebook têm alta histórica

As ações da empresa chegaram a ser cotadas em US$ 199,58, em máxima histórica, e acabaram encerrando o dia em US$ 198,31, com alta de 1,26%

Modo escuro

Continua após a publicidade
Facebook: confiança na companhia de Zuckerberg foi retomada depois que o executivo passou praticamente ileso pelo Congresso dos EUA e pelo Parlamento Europeu (Peter Macdiarmid/Getty Images)

Facebook: confiança na companhia de Zuckerberg foi retomada depois que o executivo passou praticamente ileso pelo Congresso dos EUA e pelo Parlamento Europeu (Peter Macdiarmid/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 18 de junho de 2018 às, 20h46.

Última atualização em 18 de junho de 2018 às, 20h50.

Crise? Que crise? Três meses após o escândalo da consultoria Cambridge Analytica, o Facebook atingiu valorização histórica na bolsa de valores Nasdaq. Nesta segunda-feira, 18, as ações da empresa chegaram a ser cotadas em US$ 199,58, em máxima histórica, e acabaram encerrando o dia em US$ 198,31, com alta de 1,26% durante o pregão.

Com isso, a empresa terminou a sessão avaliada em US$ 574 bilhões, cotação recorde em sua história. O valor é US$ 37 bilhões acima do valor de mercado que tinha em 16 de março, um dia antes dos jornais The New York Times e The Observer revelarem que a consultoria Cambridge Analytica tinha obtido ilicitamente dados de pelo menos 87 milhões de usuários da rede social a partir de um quiz feito pelo pesquisador Aleksandr Kogan.

É mais um passo para demonstrar que, ao menos do ponto de vista financeiro, o Facebook se recuperou de sua maior crise. O primeiro deles já havia sido dado em 11 de maio, quando a empresa conseguiu recuperar a avaliação pré-escândalo.

Para investidores, a confiança na companhia de Mark Zuckerberg foi retomada depois que o executivo passou praticamente ileso pelos depoimentos no Congresso dos EUA e no Parlamento Europeu.

Além disso, o crescimento de contas ativas do Facebook e a visão de futuro exibida por Zuckerberg, durante a conferência de desenvolvedores F8, no início de maio, explicitando o papel de tecnologias como realidade aumentada e realidade virtual, também animaram o mercado.

Últimas Notícias

Ver mais
Brasil sofre duas vezes com a alta do petróleo, diz Alexandre Silverio, CEO da Tenax Capital
seloMercados

Brasil sofre duas vezes com a alta do petróleo, diz Alexandre Silverio, CEO da Tenax Capital

Há 7 horas

Itaú vê espaço para consolidação no setor de saúde e aponta quem irá liderar de M&As
seloMercados

Itaú vê espaço para consolidação no setor de saúde e aponta quem irá liderar de M&As

Há 7 horas

Justiça nega responsabilidade de Zuckerberg em suposto vício de crianças em redes
Tecnologia

Justiça nega responsabilidade de Zuckerberg em suposto vício de crianças em redes

Há 12 horas

Meta anuncia inteligência artificial para WhatsApp e Instagram
Tecnologia

Meta anuncia inteligência artificial para WhatsApp e Instagram

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais