Mercados

Petróleo tem baixa com temores sobre demanda e fraqueza técnica

Nova York - Os futuros do petróleo nos Estados Unidos terminaram em queda nesta sexta-feira pela terceira sessão consecutiva, devido a preocupações sobre a demanda, com o crescimento dos estoques e também fraquezas técnicas no mercado. As negociações foram voláteis, com expectativas por uma solução para a dívida da Grécia, que fortaleceram o euro frente […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 9 de abril de 2010 às 20h26.

Nova York - Os futuros do petróleo nos Estados Unidos terminaram em queda nesta sexta-feira pela terceira sessão consecutiva, devido a preocupações sobre a demanda, com o crescimento dos estoques e também fraquezas técnicas no mercado.

As negociações foram voláteis, com expectativas por uma solução para a dívida da Grécia, que fortaleceram o euro frente ao dólar - algo altista para o petróleo -, ao mesmo tempo em que o rebaixamento do rating grego lançou preocupações sobre a demanda.

"A Fitch rebaixou a Grécia, pressionando o petróleo e levantando preocupações com a demanda", afirmou Dan Flynn, analista da PFGBest Research, em Chicago.

Fraqueza técnica no mercado de petróleo também foi citada nesta sexta-feira, após os futuros atingirem uma máxima de 18 meses acima de 87 dólares o barril na terça-feira."A queda está em sua maioria sendo alimentada por vendas técnicas depois da máxima de cerca de 87 dólares", disse Eugen Weinberg, do Commerzbank em Frankfurt.

O contrato maio caiu 0,47 dólar, ou 0,55 por cento, para fechar a 84,92 dólares por barril, após ter sido negociado entre 84,12 e 86,37 dólares. Em Londres o petróleo ficou praticamente estável, fechando a 84,83 dólares.

Acompanhe tudo sobre:EnergiaEstados Unidos (EUA)Países ricosPetróleoQuímica e petroquímica

Mais de Mercados

Musk recebe sinal verde de acionistas da Tesla para remuneração bilionária

50 empresas que geraram mais valor aos acionistas; apenas uma é do Brasil

Vale prevê que vendas de minério e aglomerados ao Oriente Médio podem chegar a 67 milhões de t

Onde investir? Veja quem ganha e (quem perde) com a desvalorização do real

Mais na Exame