Petrobras: ações têm forte queda com notícia de saída de Silva e Luna

Papeis ordinários recuaram 2,63% com rumores sobre troca no comando; ADRs têm leve queda no after market após recuo acima de 3% no pregão em NY
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro: estatal terá terceiro presidente em cerca de de um ano (Reuters/Sergio Moraes)
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro: estatal terá terceiro presidente em cerca de de um ano (Reuters/Sergio Moraes)
Por Da RedaçãoPublicado em 28/03/2022 20:11 | Última atualização em 28/03/2022 20:55Tempo de Leitura: 2 min de leitura

As ações da Petrobras (PETR3, PETR4) tiveram fortes perdas nesta segunda-feira, dia 28, diante das notícias até então não confirmadas de que o presidente Jair Bolsonaro teria decidido demitir o CEO da estatal, o general Joaquim Silva e Luna, em razão do seu descontentamento com os reajustes dos preços dos combustíveis nas últimas semanas.

Os rumores acabaram confirmados depois do fechamento do mercado: Silva e Luna será demitido e substituído pelo consultor Adriano Pires, sócio da consultoria CBIE, especializada no setor de petróleo & gás e energia.

A ação preferencial (PTR4) recuou 2,17% nesta segunda, para R$ 31,60, enquanto a ordinária caiu 2,63%, para R$ 34,08.

Os ADRs (recibos das ações da petrolífera) negociados na Bolsa de Nova York tiveram queda mais expressiva: de 3,44% no caso da PBR e de 3,25% no caso da PBR.A.

Nas negociações do after market em Nova York, já com a notícia da troca do comando, os papeis recuam cerca de 0,30%.

Foi uma queda mais acentuada do que a de seus pares no Brasil e no mundo, em dia de queda de quase 2% na cotação do petróleo, para a casa de US$ 104 o barril do tipo WTI no mercado americano. Nas bolsas americanas, as ações da Chevron recuaram 1,48%, e as da ExxonMobil, 2,81%.

As ações da PetroRio (PRIO3) recuaram 0,79% nesta segunda, e as da 3R Petroleum (RRRP3) subiram 0,10%.