Mercados

Oferta da Droga Raia pode movimentar até R$768,5 mi

A rede de farmácias planeja emitir mais de 20 milhões de ações ordinárias e outros dois milhões de papeis em preferenciais

Farmácia Droga Raia, em São Paulo: companhia pode obter 569,3 milhões de reais (Mario Rodrigues/VEJA SP)

Farmácia Droga Raia, em São Paulo: companhia pode obter 569,3 milhões de reais (Mario Rodrigues/VEJA SP)

DR

Da Redação

Publicado em 29 de novembro de 2010 às 08h19.

São Paulo - A Droga Raia pode levantar até 768,5 milhões de reais com uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de ações, conforme prospecto divulgado nesta segunda-feira.

A rede de farmácias planeja emitir 20.930.233 ações ordinárias em oferta primária (novas ações) e 2.790.697 em secundária (papéis que estão com os atuais sócios). Se considerado o teto da faixa de preço estimada pelos coordenadores da oferta, que é de entre 19 e 24 reais, a companhia pode obter 569,3 milhões de reais.

A operação prevê ainda lotes suplementar e adicional, equivalentes a 3.558.140 e 4.744.186 papéis, respectivamente.

Com isso, a oferta pode movimentar até 768,5 milhões de reais, também considerando o valor máximo da faixa prevista, se os lotes adicional e suplementar forem integralmente vendidos.

O período de reserva tem início em 6 de dezembro e se encerra no dia 15 do mesmo mês.

Investidores de varejo, para os quais serão reservados entre 10 por cento e 20 por cento das ações ofertadas --sem considerar os lotes extras-- podem participar com aporte de entre 3 mil e 300 mil reais. Os aportes que superarem esse valor serão enquadrados na oferta institucional.

A fixação do preço por ação ocorre em 16 de dezembro e os papéis da Droga Raia devem começar a ser negociados na BM&FBovespa no dia 20 do mês que vem.

Participam como coordenadores da oferta o Itaú BBA (líder), Credit Suisse e BB Investimentos.

A Droga Raia, que afirma ser uma das cinco maiores do país em receita e a terceira maior em quantidade de lojas, entrou com pedido de IPO no final de outubro.

Na ocasião, a companhia informou que os recursos obtidos com a oferta serão destinados a investimentos em ativos fixos e capital de giro para abertura e reforma de lojas, além de redução da dívida de longo prazo com bancos.

A Droga Raia encerrou setembro com 326 farmácias em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A previsão da companhia é terminar 2010 com 350 unidades em operação.

Após a conclusão da oferta, a empresa será a segunda varejista de medicamentos listada na Bovespa, juntando-se à Drogasil.

Acompanhe tudo sobre:FarmáciasIPOsMercado financeiroSaúdeSetor farmacêutico

Mais de Mercados

Ibovespa: nem Petrobras nem Nvidia conseguem sustentar bolsa, que opera em queda após Ata do Fed

"Se o medo é de uma loucura na Suzano, eu compro a ação": por que esse gestor está otimista com IP

Repercussão do balanço da Nvidia e da Ata do Fed: os assuntos que movem o mercado

Nvidia (NVDC24) dispara mais de 7% no pré-mercado após balanço do 1T24 surpreendente

Mais na Exame