Mercados

Mercado em movimento: o que os analistas comentam nesta segunda-feira

Confira as alterações nas recomendações dos analistas; comentários de BM&Bovespa, CSN, Gerdau, Usiminas, Vale, Marisa, Hering, Guararapes e Lojas Renner

Os analistas da casa de análise Morningstar elevaram o preço-alvo para as ADRs de 23 dólares para 31 dólares (.)

Os analistas da casa de análise Morningstar elevaram o preço-alvo para as ADRs de 23 dólares para 31 dólares (.)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de julho de 2010 às 17h13.

São Paulo - Saiba o que os analistas de mercado comentam na sessão de hoje:

- BM&FBovespa (BVMF3)

A corretora Ativa elevou hoje a recomendação de neutra para compra para os papéis da BM&FBovespa. O preço-alvo foi alterado de 13,72 reais por ação para 14,94 reais. "Revisamos nossas estimativas para BM&FBovespa, incluindo novas premissas macroeconômicas, atualizando os resultados divulgados e incorporando o volume adicional das ofertas de Petrobras e BB ao segmento Bovespa, bem como novos guidances fornecidos pela empresa", disse a analista de serviços financeiros Laura Lyra Schuch, em relatório.

- CSN (CSNA3), Gerdau (GGBR4) e Usiminas (USIM5); (USIM3)

A equipe de análise do Bradesco refez as contas para os ativos de mineração das siderúrgicas brasileiras e concluiu que eles estão subavaliados. Como base para o cálculo, os analistas Raphael Biderman e Gina Montone utilizaram o preço da venda de 30% da unidade de mineração da Usiminas para a Sumitomo.

"Desta forma, reiteramos a nossa recomendação outperform (acima da média do mercado) para a CSN e Usiminas", destacam. Os analistas lembram, entretanto, que a CSN não almeja a venda dos seus ativos de mineração por conta de uma decisão estratégica.

- Vale (VALE3); (VALE5)

Os analistas da casa de análise Morningstar elevaram o preço-alvo para as ADRs (Títulos que representam ações brasileiras em Nova York) de 23 dólares para 31 dólares. A revisão, assinada por Daniel Rohr e Elizabeth Collins, teve como base a assunção de preços mais altos para o minério de ferro e níquel.

"Nos próximos anos a Vale irá empreender um enorme programa de investimentos com o objetivo de ampliar a capacidade em seu portfólio. Enquanto o minério e, e em menor grau, o níquel irão se manter como os negócios principais, a empresa também busca diversificar os seus fluxos de receitas com investimentos em cobre, carvão e fertilizantes", mostra a análise.

- Marisa (AMAR3), Hering (HGTX3), Lojas Renner (LREN3) e Guararapes (GUAR3)

O HSBC revisou para cima as projeções para as varejistas de vestuário brasileiras na bolsa."Acreditamos que a indústria de vestuário está entrando em uma fase de expansão acelerada da área de vendas, para se equiparar à demanda crescente. Os balanços saudáveis devem permitir que os ambiciosos planos de investimentos se concretizem", afirmaram os analistas Francisco Chevez, Alexandre Gartner e Manisha Chaudhry.

Para a Marisa, o banco elevou o preço-alvo de 24 reais para 26 reais e manteve a recomendação overweight (alocação acima da média). Para a Lojas Renner, a classificação é neutra. O preço-alvo subiu para 54 reais, a partir de 50 reais. A Lojas Hering teve o preço-alvo elevado de 50 reais para 58 reais. A recomendação é overweight. A Guararapes, por sua vez, teve o preço-alvo mantido em 76 reais, com a indicação neutra.

Acompanhe tudo sobre:AçõesB3bolsas-de-valoresCSNEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasGerdauMineraçãoservicos-financeirosSiderurgiaSiderurgia e metalurgiaSiderúrgicasVale

Mais de Mercados

Ibovespa cai mais de 1% e retoma ao patamar dos 122 mil pontos

Grupo Mateus (GMAT3) avalia comprar rede do Novo Atacarejo

Livro Bege dos EUA, Caged, Pnad Contínua, falas do Fed e mais: o que move o mercado

Anglo American rejeita pedido da BHP para estender prazo de proposta

Mais na Exame