Itaú BBA pede para evitar ações da GOL e elogia Mills

Relatório atualiza projeções às empresas de transporte, logística e infraestrutura; CCR e OHL ganham destaque

	Ações da Mills mostram expressivos ganhos de 65% em 2012
 (Luiz Prado/Divulgação/BM&FBOVESPA)
Ações da Mills mostram expressivos ganhos de 65% em 2012 (Luiz Prado/Divulgação/BM&FBOVESPA)
Por Marcelo PoliPublicado em 27/03/2013 09:04 | Última atualização em 27/03/2013 09:04Tempo de Leitura: 5 min de leitura

São Paulo – O Itaú BBA atualizou suas projeções às empresas dos setores de transporte, logística e infraestrutura presentes em seu universo de cobertura. 

A avaliação da analista Renata Faber destaca a Mills (MILS3) como a favorita .“Nossa opinião positiva com relação à empresa se baseia em seu retorno sobre o capital investido, forte e em recuperação”, destaca Renata.

Além disso, o relatório cita ainda o momento positivo vivido pela empresa que fornece serviços de construção e engenharia para indústria civil e industrial, tendo em vista que sua alta exposição à infraestrutura provavelmente vai continuar a sustentar fortes resultados. No entanto, o preço-alvo das ações para dezembro de 2013 é de 28,50 reais, um potencial de baixa de 2,8%. Desde janeiro, as ações da empresa de serviços de construção e engenharia à indústria civil acumulam uma forte valorização de 65%.

Os papéis de CCR (CCRO3), OHL (OHLB3) e Tegma (TGMA3) também contam com recomendações classificadas em desempenho acima da média do mercado (outperform) pelo Itaú BBA.

“Continuamos otimistas em relação às companhias de rodovias pedagiadas que cobrimos, uma vez que se trata de uma maneira segura de obter exposição ao crescimento do PIB e à inflação”, justifica Renata.

No caso da CCR, a analista destaca uma maior diversificação da sequência de novos projetos, tendo em vista os esforços no sentido da mobilidade urbana.


O que evitar?

Avaliação considerou que a GOL (GOLL4) e a Santos Brasil (STBP11) devem ser evitadas.

“A GOL está focada em rotas domésticas, nas quais a concorrência é mais acirrada”, diz Renata. O relatório destaca ainda preocupações com relação aos custos em forte aumento da companhia, suas dificuldades em elevar os yields (rendimentos), níveis atuais da dívida e cenário cambial atual desfavorável.

Já a Santos Brasil ganhou elogios referentes ao bom momento operacional. Porém, existem diversos riscos que impedem uma avaliação mais confiante, segundo Renata. São eles: os termos incertos da renovação do contrato de concessão para o terminal do Porto de Santos, a batalha em andamento entre os acionistas controladores da empresa e a competição acirrada.

Confira as recomendações e preços-alvo abaixo:

Empresa Preço-alvo (dez/13) Potencial de valorização Recomendação
Mills (MILS3) R$28,50 -2,7% outperform
CCR (CCRO3)

R$18,00

-1,9% outperform
OHL (OHLB3) R$22,00 18,3% outperform
Santos Brasil (SBBP11) R$36,00 24,1% market perform
Tegma (TGMA3) R$35,00 4,6% outperform
GOL (GOLL4) R$12,00 3,7% market perform