Ibovespa volta aos 110 mil pontos após alívio com Evergrande e precatórios

Índice volta ao campo positivo após cinco pregões de perdas; dólar recua com maior apetite a risco
Painel de cotações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame (Exame/Germano Lüders)
Painel de cotações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame (Exame/Germano Lüders)
Por Beatriz QuesadaPublicado em 21/09/2021 17:31 | Última atualização em 21/09/2021 17:44Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O Ibovespa quebrou uma sequência de cinco pregões negativos e voltou a subir nesta terça-feira, 21,. O principal índice da B3 fechou o dia com ganhos de 1,29%, aos 110.249 pontos, acompanhando a recuperação das bolsas globais após as duras perdas da véspera, quando os investidores estavam com os olhos voltados para o superendividamento da chinesa Evergrande.

O caso continua a preocupar, mas analistas já apontam que a empresa não deve se tornar novo Lehman Brothers -- estopim para a crise financeira de 2008 -- porque a dívida bilionária da Evergrande não está espalhada pelos mercados mundiais, mas sim concentrada na mão dos chineses. 

Enquanto a crise não se resolve, as bolsas globais passam por ajustes. Na Europa, o Stoxx 600 fechou em alta de 1% após cair 1,67% na véspera. Já nos Estados Unidos, os índices S&P 500 e Dow Jones viraram para leves quedas no final do pregão, enquanto o Nasdaq subiu 0,22%. Por lá, investidores ficaram em compasso de espera, no aguardo da decisão monetária que será divulgada amanhã pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano). 

Além do ambiente externo mais positivo, a bolsa acelerou os ganhos após desdobramentos da crise dos precatórios. Nesta terça, os presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, se encontraram com o ministro da Economia, Paulo Guedes para discutir a questão. Na saída da reunião, os presidentes das duas casas reforçaram que a solução para as despesas irá ficar dentro do teto de gastos, principal âncora fiscal do país.

Pacheco sinalizou ainda que o Orçamento do ano que vem irá prever uma limitação do crescimento dessas despesas pela mesma dinâmica da regra do teto -- proposta diferente do parcelamento dos precatórios, que era visto como uma tentativa de calote por alguns analistas. Já Lira instalou a comissão da PEC dos Precatórios ainda nesta tarde. A expectativa é de que a escolha do relator seja realizada amanhã.

O alívio fiscal teve um efeito ainda mais acentuado no câmbio, impulsionando a desvalorização do dólar. A moeda americana caiu 0,84%, encerrando a sessão a 5,28 reais.

Destaques da bolsa

Apesar do cenário mais favorável no exterior, ações ligadas ao minério de ferro voltaram a apresentar forte volatilidade nesta terça, refletindo as incertezas sobre o setor. Após chegar a subir cerca de 2%, as ações da Vale (VALE3) chegaram a ficar próximas à estabilidade e fecharam o dia com alta de 0,97%. No mês, no entanto, o papel ainda acumula perdas de 14,47%. 

Já as siderúrgicas continuaram entre as maiores quedas do Ibovespa -- só que registraram baixas mais brandas. Na lanterna do setor, a Gerdau (GGBR4) caiu 0,9%, seguida por Metalúrgica Gerdau (GOAU4), que recuou 0,62% e CSN (CSNA3), que caiu 0,38%. 

"Apesar de estarmos em um momento bem forte para o mercado de commodities global, há grandes incertezas sobre a Evergrande, que é uma empresa de construção e demanda muito aço. Se houver uma crise sistêmica, devemos ter uma menor demanda por minério de ferro, podendo se alastrar para outras commodities", disse Marcel Zambello, analista do BTG Pactual Digital, na Abertura de Mercado desta terça.

No campo positivo, ações de varejistas lideram as altas, se recuperando de fortes perdas recentes. A Méliuz (CASH3) disparou 13,6%, seguida por Via (VIIA3), que subiu 11,28%. No ano, os papéis da fintech Méliuz já subiram 360%. Americanas (AMER3) e Lojas Americanas (LAME4) também avançam, registrando altas de 4,94% e 3,81%, respectivamente.

Outro destaque foi o setor de aviação e turismo, que se beneficiou do maior afrouxamento de regras para viagens internacionais. CVC (CVCB3) e Gol (GOLL4) registraram altas de 6,51% e 3,87%. 

No radar, ainda está o anúncio da CVC de que as reservas domésticas estão em 91% do nível pré-pandemia. Já a Gol acordou a compra ou arrendamento de 250 aeronaves eVTOL, também conhecida como "carro voador". 

Entre as ações com maior participação no índice, as ações da Petrobras (PETR3/PETR4)  subiram 1,59% e 2,27%, impulsionadas pela alta do petróleo. A valorização se somou com o movimento positivo do setor financeiro para impulsionar o índice. Entre os grandes bancos, Banco do Brasil (BBAS3) foi o principal destaque de alta, subindo 2,54%.

Maiores altas

Maiores quedas

Méliuz CASH3

13,60%

IRB IRBR3

-1,84%

Via VIIA3

11,28%

SulAmérica SULA11

-1,75%

CVC CVCB3

6,51%

RaiaDrogasil RADL3

-1,16%