Acompanhe:

Ibovespa sobe 1,38%; giro da bolsa bate recorde

Para profissionais do mercado, investidores ainda enxergam boas oportunidades de compra e se concentram no setor dos bancos

Modo escuro

Continua após a publicidade
O Ibovespa mostrou bastante volatilidade na primeira metade do pregão (Germano Lüders/EXAME)

O Ibovespa mostrou bastante volatilidade na primeira metade do pregão (Germano Lüders/EXAME)

P
Patrícia Duarte

Publicado em 17 de agosto de 2011 às, 18h47.

São Paulo - Em dia volátil, a Bovespa fechou esta quarta-feira no azul, numa sessão de giro financeiro recorde devido ao exercício de contratos de índice.

O Ibovespa fechou com alta de 1,38 por cento, a 55.073 pontos, na máxima do pregão. O volume financeiro ficou em 23,7 bilhões de reais.

A ponta compradora voltou a prevalecer depois de uma queda das ações na véspera, interrompendo uma sequência de cinco altas. Para profissionais do mercado, investidores ainda enxergam boas oportunidades de compra e desta vez se concentraram nas ações do setor bancário.

"O que chamou a atenção hoje foram os bancos, que puxaram (o mercado) para cima", resumiu o analista-chefe da XP Investimentos, Rossano Oltramari.

Sobretudo na primeira metade do pregão, o Ibovespa mostrou bastante volatilidade, atingindo a mínina do dia com baixa de 0,92 por cento, momento em que as bolsas norte-americanas também operavam no vermelho.

No final, o Dow Jones, um dos principais indicadores das bolsas americanas, teve leve alta de 0,04 por cento. O Standard & Poor's subiu 0,09 por cento, enquanto o indicador de tecnologia Nasdaq cedeu 0,47 por cento.

Os investidores refletiram o fraco desempenho da Dell, que divulgou dados piores do que o esperado.

No mercado brasileiro, os investidores continuaram atrás de pechinchas, já que o Ibovespa, no ano, tem perdas acumulada de pouco mais de 20 por cento.

Entre os destaques positivos do índice, Banco do Brasil teve alta de 3,52 por cento, a 25,87 reais, enquanto Itaú Unibanco subiram 3 por cento, a 28,85 reais.


Entre as ações de maior liquidez, o papel preferencial da Vale subiu 1,38 por cento nesta quarta-feira, a 40,30 reais, e o da Petrobras avançou 0,53 por cento, a 20,87 reais.

O diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa, disse que o custo de extração de petróleo da companhia deve cair dos patamares registrados no primeiro semestre do ano ao longo de 2011, podendo atingir o nível de 18 dólares o barril no segundo semestre.

Apenas nesta quinta-feira será possível conhecer o resultado do vencimento de opções e futuros de Ibovespa, que deverá indicar como estão as perspectivas dos investidores sobre o mercado. Os aplicadores estrangeiros têm posições vendidas --que pode indicar um aposta de baixa nos preços dos papéis-- de pouco mais de 100 mil contratos.

Últimas Notícias

Ver mais
Como a Coreia do Sul está tentando 'copiar' o recorde das ações japonesas
seloMercados

Como a Coreia do Sul está tentando 'copiar' o recorde das ações japonesas

Há 3 horas

Em momento de baixa nas ofertas públicas de ações nos EUA, 'IPO privado' aparece como opção
seloMercados

Em momento de baixa nas ofertas públicas de ações nos EUA, 'IPO privado' aparece como opção

Há 16 horas

Cenário está bem para uma Selic terminal mais para 9,5%, diz ex-diretor do BC
seloMercados

Cenário está bem para uma Selic terminal mais para 9,5%, diz ex-diretor do BC

Há 23 horas

Quem foi Charlie Munger, homenageado em carta anual de Warren Buffett
seloMercados

Quem foi Charlie Munger, homenageado em carta anual de Warren Buffett

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais