Mercados

Fundo de hedge envolvido com Goldman ganhou US$ 1 bi com operação

Nova York - O fundo de hedge envolvido nas transações que levaram a Securities and Exchange Comission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) a fazer hoje uma acusação civil contra o Goldman Sachs ganhou US$ 1 bilhão com as operações. Segundo a SEC, o banco de investimentos criou e promoveu obrigações de divida […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h45.

Nova York - O fundo de hedge envolvido nas transações que levaram a Securities and Exchange Comission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) a fazer hoje uma acusação civil contra o Goldman Sachs ganhou US$ 1 bilhão com as operações. Segundo a SEC, o banco de investimentos criou e promoveu obrigações de divida colateralizada (CDO) que dependiam do desempenho de ativos lastreados em hipotecas, mas não informaram aos investidores que um grande fundo de hedge tinha influência na escolha dos ativos e estava apostando contra eles.

O fundo de hedge em questão, Paulson & Co., pagou ao Goldman US$ 15 milhões para que fosse criada a CDO, no início de 2007, quando o mercado imobiliário dos EUA e ativos relacionados estavam começando a mostrar sinais de problemas, segundo a SEC.

De acordo com a SEC, o Goldman não revelou que a Paulson & Co. tinha papel significativo na escolha da carteira da CDO, mas a empresa de fundo de hedge apostou contra o produto estruturado ao entrar em uma transação de swap de default de crédito (CDS) com o Goldman Sachs para comprar proteção. Como resultado dessa aposta, a Paulson ganhou cerca de US$ 1 bilhão, de acordo com a SEC. A queixa aberta pela SEC não cita a Paulson porque a empresa não fez qualquer divulgação aos investidores.

O Goldman pode enfrentar grandes multas e ficar em uma situação difícil ao ter de reembolsar quase US$ 1 bilhão em perdas dos investidores. A acusação da SEC é a primeira ação que os órgãos reguladores tomaram contra uma empresa de Wall Street por apostar no colapso do mercado imobiliário e representa um novo golpe para um banco de investimento que está sendo criticado pelo modo como tratou a crise financeira. As informações são da Dow Jones.

Acompanhe tudo sobre:CorrupçãoEscândalosFinançasFraudesMetrópoles globaisNova Yorksetor-financeiro

Mais de Mercados

Nvidia: mercado espera lucro 411% maior em resultado do 1º trimestre

Yduqs (YDUQ3) dispara 10% após divulgar projeções de crescimento em encontro com investidores

Ibovespa tem leve queda e fecha 3º dia no vermelho; Yduqs dispara 10%

Os planos da AstraZeneca no 'pós-pandemia': remédios para perda de peso e receita de US$ 80 bi

Mais na Exame