Embraer (EMBR3) recebe encomendas da Alaska Air Group e da Porter Airlines

As solicitações foram de oito jatos do modelo E175, além de mais 20 aeronaves do modelo E195-E2
Modelo de uma aeronave da Embraer (Aly Song/Reuters)
Modelo de uma aeronave da Embraer (Aly Song/Reuters)
Roberto Bodetti
Roberto Bodetti

Publicado em 19/07/2022 às 15:43.

Última atualização em 19/07/2022 às 16:13.

A Embraer (EMBR3) comunicou ao mercado nesta terça-feira, 19, que recebeu duas grandes encomendas de aeronaves. Juntas, as encomendas somam US$ 2,68 bilhões.

A primeira solicitação recebida foi da Alaska Air Group (NYSE: ALK), que encomendou oito novos jatos do modelo E175, além de solicitarem opções de compra para mais 13 aviões. Os modelos E175 irão voar somente para a Alaska Airlines, diante um Contrato de Compra de Capacidade (CPA) com a Horizon Air. O valor total do contrato é de US$ 1,12 bilhão, com base no preço de tabela.

O vice-presidente sênior da frota da Alaska, Nat Pieper, se pronunciou sobre a eficiência e propósitos das novas aeronaves E175 da frota da companhia. "O jato é a aeronave perfeita para atender a malha regional da Horizon no noroeste do Pacífico e além. Nossos clientes desfrutarão da experiência de três classes de cabine ao viajar a partir de pequenas cidades para embarcar em voos nos maiores hubs da Alaska ou de muitas outras companhias aéreas parceiras globais.”

A segunda encomenda realizada foi feita pela Porter Airlines, que fez um pedido de 20 jatos comerciais do modelo Embraer E195-E2. O pedido é somado a outros 30 pedidos firmes já existentes.

A Porter comunicou que usará os E195-E2 para estender seus serviços para destinos em toda a América do Norte. O valor total do acordo foi de US$ 1,56 bilhão e completa a marca de 100 pedidos feitos pela Porter à Embraer, sendo eles 50 pedidos firmes e 50 direitos de compra.

Em 2021, a Porter já havia encomendado 30 jatos da Embraer no mesmo modelo e solicitado direito de compra de mais 50 aeronaves, em um contrato de US$ 5,82 bilhões, se todas as opções forem exercidas.

O presidente da Porter também fez um pronunciamento sobre a qualidade das aeronaves da Embraer e sobre a aplicação delas no futuro:

"A Embraer tem uma aeronave que comprovou ser a melhor em eficiência ambiental, no desempenho operacional e no conforto aos passageiros. Estamos nos preparativos finais para introduzir o E195-E2 na América do Norte, juntando-se a outras companhias aéreas globais que já se beneficiam de seu uso", disse Arjan Meijer.

Resultados da Embraer (EMBR3) no 1T22

No primeiro trimestre do ano a Embraer registrou um prejuízo líquido de R$ 428 milhões, uma redução de 18,1% se comparado com o mesmo período no ano passado.

A receita líquida foi 31% menor, também na comparação ano a ano, um total de R$ 3,076 bilhões nos três primeiros meses do ano.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda ajustado) reduziu em 55,2% neste primeiro trimestre, um total de R$ 45,4 milhões.

A margem Ebitda (Ebitda sobre receita líquida) ajustada da companhia foi de 1,5% no período.