Mercados

Bolsas de NY operam perto da estabilidade

O número da semana anterior foi revisado em alta para 394 mil, ante os 382 mil informados anteriormente

As ações da Berkshire Hathaway eram pressionadas nesta manhã por causa da renúncia do executivo David Sokol, um dos possíveis sucessores de Warren Buffett (Getty Images)

As ações da Berkshire Hathaway eram pressionadas nesta manhã por causa da renúncia do executivo David Sokol, um dos possíveis sucessores de Warren Buffett (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 31 de março de 2011 às 11h57.

Nova York - As Bolsas de Nova York operam próximas da estabilidade nesta manhã, após a divulgação dos dados de pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos. O número de pedidos de auxílio-desemprego caiu 6 mil na semana passada nos Estados Unidos, para 388 mil, mais que a queda de 2 mil esperada por analistas. O número da semana anterior foi revisado em alta para 394 mil, ante os 382 mil informados anteriormente. Às 11h30 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,15%, o Nasdaq recuava 0,04% e o S&P-500 registrava baixa de 0,01%.

Na Europa, o governo português informou que o déficit do orçamento em 2010 ficou em 8,6% do Produto Interno Bruto (PIB), superando estimativas do próprio governo de que ficaria em 7,3%. Para 2011, a previsão do governo é de que o déficit caia para 4,6% do PIB. Na Irlanda, o BC do país anuncia às 12h30 (horário de Brasília) os resultados dos testes de estresse feitos em quatro bancos.

Entre as principais empresas com papéis negociados nos EUA, as ações da Berkshire Hathaway eram pressionadas nesta manhã. Ontem, o executivo David Sokol, um dos possíveis sucessores de Warren Buffett no comando da companhia de investimentos, apresentou sua renúncia. Já a Vodafone anunciou que irá aumentar sua participação na Essar India para 75%, por meio da compra de 33% do Essar Group, por US$ 5 bilhões.

A Johnson & Johnson anunciou ontem que irá reestruturar seus negócios e dar mais ênfase à unidade McNeil Consumer Healthcare, que recentemente acionou vários recalls de seus produtos. Já a montadora japonesa Nissan informou hoje que não pretende formar uma única holding para a companhia e para a Renault, ao contrário do que foi noticiado pelo jornal Nikkei Business Daily.

A Microsoft enviou reclamação para os reguladores antitruste da União Europeia contra o Google, acusando o site de busca de barrar os competidores de acessar o YouTube para busca de resultados e impedindo os telefones Windows de acessar normalmente o site de vídeo.

Acompanhe tudo sobre:AçõesBerkshire Hathawaybolsas-de-valoresEmpresáriosEmpresasEmpresas americanasgrandes-investidoresMetrópoles globaisNova YorkPersonalidadeswarren-buffett

Mais de Mercados

‘Banco dos restaurantes’: iFood quer dobrar de tamanho com lançamento do iFood Pago

Repercussão do Copom, decisão de juros na Inglaterra e Casas Bahia (BHIA3): o que move o mercado

Petrobras (PETR4) paga R$ 19,17 bi em dividendos nesta quinta-feira

Bancos centrais compram um quinto do ouro do mundo e querem aumentar aposta

Mais na Exame