Mercados

Bolsas da América Latina fecham em alta

Na Argentina, no mercado de câmbio, o dólar se manteve estável, cotado a 4,92 pesos para venda


	Índice Merval na bolsa de valores de Buenos Aires: índice geral da Bolsa de Valores da Colômbia (IGBC) fechou nesta sexta-feira em leve alta de 0,04%, para 14.715,84 pontos
 (Quique Kierszenbaum/Getty Images)

Índice Merval na bolsa de valores de Buenos Aires: índice geral da Bolsa de Valores da Colômbia (IGBC) fechou nesta sexta-feira em leve alta de 0,04%, para 14.715,84 pontos (Quique Kierszenbaum/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 28 de dezembro de 2012 às 20h22.

O principal indicador da Bolsa de Valores de Santiago do Chile, o IPSA, fechou nesta sexta-feira em alta de 0,16%, aos 4.301,38 pontos. Já o índice geral da bolsa chilena (IGPA) subiu 0,20%, para 21.070,28 pontos. O montante das ações negociadas chegou a 154,5 bilhões de pesos (US$ 323,3 milhões).

O Índice de Preços e Cotações (IPC) da Bolsa Mexicana de Valores (BMV) fechou nesta sexta-feira em alta de 0,58%, aos 43.721,93 pontos. No pregão, foram negociados 147 milhões de títulos, com giro financeiro de 4,61 bilhão de pesos (US$ 355 milhões).

O índice geral da Bolsa de Valores da Colômbia (IGBC) fechou nesta sexta-feira em leve alta de 0,04%, para 14.715,84 pontos. O giro financeiro da sessão foi de 131,7 bilhões de pesos (US$ 74,3 milhões) em 1.878 operações.

O índice Merval, da Bolsa de Comércio de Buenos Aires, fechou nesta sexta-feira em alta de 0,53%, para 2.854,29 pontos. Já o Índice Geral da Bolsa subiu 0,84%, para 164.018,92 pontos, enquanto o Merval 25 avançou 0,55%, fechando aos 2.864,79 pontos. No mercado de câmbio, o dólar se manteve estável, cotado a 4,92 pesos para venda.

Acompanhe tudo sobre:[]

Mais de Mercados

Bolsas da Europa fecham em baixa, devolvendo parte dos ganhos em dia de CPI da zona do euro

Gavekal: inflação machuca, mas é a pobreza o maior problema dos EUA

Ibovespa fecha perto da estabilidade dividido entre Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4)

China, inflação da europa e demissões na Petrobras: o que move o mercado

Mais na Exame