Bolsa americana bate recorde e supera perdas causadas pela pandemia

Seis meses depois do início da crise, o índice S&P 500 encerrou o pregão em alta de 0,2% para 3.389,78 pontos, maior pontuação já alcançada
Wall Street: o recorde anterior havia sido atingido em fevereiro (Image Source/Getty Images)
Wall Street: o recorde anterior havia sido atingido em fevereiro (Image Source/Getty Images)
N
Natália Flach

Publicado em 18/08/2020 às 18:43.

Última atualização em 18/08/2020 às 18:49.

Esta terça-feira, 18, vai entrar para a história. Seis meses depois do início da crise, o índice S&P 500 encerrou o pregão em alta de 0,2% para 3.389,78 pontos, maior pontuação da história. O recorde anterior havia sido alcançado em fevereiro. Com isso, a tendência agora é de alta nos mercados lá fora. Até porque o índice Nasdaq Composite também bateu recorde, com o avanço de 0,7%, nesta terça, para 11.210,84 pontos.

As protagonistas foram as ações da Amazon que subiram mais de 4%, além da Netflix e da Alphabet que avançaram pelo menos 2%. Apenas o Dow Jones Industrial Average ficou para trás, ao cair 0,2% para 27.778,07, puxado pela Home Depot e pelo Walmart que recuaram no pregão de hoje, apesar dos fortes resultados.

“Houve boas notícias aparentemente validando esse movimento de alta", disse Andrew Slimmon, diretor-gerente da Morgan Stanley Investment Management, em entrevista à CNBC. Slimmon observou que os dados econômicos têm vindo fortes e os ganhos corporativos têm superado as expectativas dos analistas.

De acordo com analistas da EXAME Research, o avanço nas discussões sobre o pacote de estímulo americano ajuda a dar o tom favorável aos ativos de risco.