Mercados

Ações da Petrobras caem 4% com incertezas da capitalização

Demora em definir o preço do barril do petróleo no processo afeta os papéis da estatal brasileira

Os papéis preferenciais da Petrobras caíram 4,18%, negociadas a 25,45 reais (.)

Os papéis preferenciais da Petrobras caíram 4,18%, negociadas a 25,45 reais (.)

DR

Da Redação

Publicado em 30 de agosto de 2010 às 17h45.

São Paulo - As ações da Petrobras (PETR4); (PETR3) caíram perto de 4% na sessão desta segunda-feira (30). A indefinição quanto aos detalhes do processo de capitalização da estatal continua a atrapalhar os negócios na bolsa brasileira. O principal temor do mercado está concentrado no preço do barril do petróleo a ser cedido para a Petrobras na forma de cessão onerosa pela União. Especula-se um valor em torno de 8,5 dólares.

O preço está sendo debatido entre a ANP (Agência Nacional do Petróleo) e a Petrobras. Ambas contrataram agências de análise independentes para achar um preço ao barril. O problema é que o preço encontrado difere muito. A empresa contratada pela Petrobras teria encontrado, segundo informações extraoficiais, um valor entre 5 e 6 dólares, enquanto a agência da ANP achou um valor entre 10 e 12 dólares.

Quanto menor o preço, maiores parecem as chances de a Petrobras ser bem-sucedida na empreitada do pré-sal. Porém, além do preço a ser definido, ninguém ainda sabe qual será a área concedida e o custo de extração do petróleo. Os detalhes devem ser divulgados no laudo técnico que acompanhará o anúncio do preço. A expectativa agora é de que isso possa acontecer nesta quarta-feira (2).

Para o gestor de fundos para a América Latina da Aberdeen Asset Management, Nick Robinson, é difícil avaliar se o preço de 8,5 dólares é justo, sem o laudo.  "É difícil dizer - teríamos que ter uma ideia de onde estão as reservas e se há alguma sinergia com as reservas existentes", disse em uma entrevista por e-mail ao Site EXAME. "Espero algo entre os dois preços, com esperanças de ficar mais perto da agência da Petrobras", completou o gestor.

A Aberdeen é o segundo maior investidor privado na Petrobras, atrás apenas da gestora Black Rock. Os papéis preferenciais da Petrobras caíram 4,18%, negociadas a 25,45 reais. As ordinárias recuaram 2,67%, vendidas a 29,15 reais. No ano, a queda dos preferenciais chega a 29%. As ordinárias já recuaram 28,6%.

Leia mais sobre Petrobras.

Siga as últimas notícias de Mercados no Twitter

Assine a newsletter do Canal de Mercados

Acompanhe tudo sobre:AçõesB3bolsas-de-valoresCapitalização da PetrobrasEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEstatais brasileirasGás e combustíveisIndústria do petróleoPetrobrasPetróleoservicos-financeiros

Mais de Mercados

Ibovespa: nem Petrobras nem Nvidia conseguem sustentar bolsa, que abre em queda após Ata do Fed

"Se o medo é de uma loucura na Suzano, eu compro a ação": por que esse gestor está otimista com IP

Repercussão do balanço da Nvidia e da Ata do Fed: os assuntos que movem o mercado

Nvidia (NVDC24) dispara mais de 7% no pré-mercado após balanço do 1T24 surpreendente

Mais na Exame