Acompanhe:

Ações do Yahoo! sobem após saída surpreendente da CEO

Mercado especula uma possível venda ou associação da empresa

Modo escuro

Continua após a publicidade
Logo do Yahoo (Justin Sullivan/Getty Images)

Logo do Yahoo (Justin Sullivan/Getty Images)

G
Gustavo Kahil

Publicado em 8 de setembro de 2011 às, 16h39.

São Paulo – O mercado não está tão indignado com a demissão da CEO do Yahoo!, Carol Bartz, quanto ela parece estar. A demissão de Carol foi bem vista pelos investidores e as ações da empresa subiram 9,6% desde o anúncio da saída da executiva, enquanto o índice Nasdaq 100 tem uma pequena alta de 1,77%.

“Em minha visão, a mudança do CEO irá reacender as especulações passadas de que o Yahoo poderá ser comprado ou um candidato para fusão e, enquanto isso possa ser possível, suspeito que a probabilidade de que isso aconteça é pequena”, explica Christopher Versace, da consultoria Think 20/20.

Apesar da valorização dos últimos dias, os papéis do Yahoo! ainda apresentam uma queda de 15%, acima do Nasdaq (-4,8%). Versace continua a preferir as ações da Nokia, que deve apresentar nas próximas semanas seus novos smartphones com o sistema operacional Windows Mobile, além das candidatas à venda comSocre e InterDigital.

Carol perdeu a compostura ao comentar a sua saída da empresa e elevou o tom em uma entrevista concedida à Fortune. "Essas pessoas me f...", disse ela sobre os integrantes do conselho. Os resultados da empresa desde a nomeação de Bartz foram irregulares. No último trimestre, o Yahoo havia conseguido um aumento do lucro líquido anualizado de 11%, e um crescimento de 5% na receita.

Segundo ela, os diretores estão tentando rebater as críticas sobre a negativa do Yahoo! sobre uma associação proposta pela Microsoft em 2007. “Agora eles estão tentando provar que não são os idiotas que são”, destacou. Mas o melhor momento para uma já pode ter passado, afirmam analistas. Para eles, desde a oferta da Microsoft a importância das redes sociais cresceu muito e o Yahoo! não tem operações nesta área, o que reduz a atratividade dos ativos.

“Essa ação torna mais provável uma mudança estratégica, venda ou fusão. Mas não compraríamos as ações do Yahoo! com a especulação sobre a venda com suas operações ainda sofrendo”, diz Clayton F. Moran, analista da Benchmarkcap, em relatório. Moran reduziu o preço-alvo para as ações de 18 para 15 dólares. A recomendação continua em manutenção.

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:"Tabela normal";
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:"";
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:"Calibri","sans-serif";
mso-bidi-font-family:"Times New Roman";}

Últimas Notícias

Ver mais
Investidores millennials e da geração Z preferem criptomoedas a ações, mostra pesquisa
Future of Money

Investidores millennials e da geração Z preferem criptomoedas a ações, mostra pesquisa

Há 19 horas

Ibovespa cai à mínima do ano com EUA e Petrobras; dólar atinge máxima de R$ 5,12
seloMercados

Ibovespa cai à mínima do ano com EUA e Petrobras; dólar atinge máxima de R$ 5,12

Há 19 horas

Suspensão na Petrobras, balanços de bancos dos EUA e Starbucks: os assuntos que movem o mercado
seloMercados

Suspensão na Petrobras, balanços de bancos dos EUA e Starbucks: os assuntos que movem o mercado

Há 21 horas

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, com tombo de Hong Kong após exportações chinesas
seloMercados

Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, com tombo de Hong Kong após exportações chinesas

Há 23 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais