Ações da Glencore renovam mínimas históricas em Londres

Por volta das 8h10 (de Brasília), os papéis da Glencore caíam 20,6% no mercado inglês, depois de chegarem a recuar mais de 27% mais cedo na sessão

	Mínima histórica: por volta das 8h10 (de Brasília), os papéis da Glencore caíam 20,6% no mercado inglês, depois de chegarem a recuar mais de 27% mais cedo na sessão
 (Gianluca Colla/Bloomberg)
Mínima histórica: por volta das 8h10 (de Brasília), os papéis da Glencore caíam 20,6% no mercado inglês, depois de chegarem a recuar mais de 27% mais cedo na sessão (Gianluca Colla/Bloomberg)
D
Da RedaçãoPublicado em 28/09/2015 às 08:56.

Londres - As ações da Glencore atingiram hoje novas mínimas históricas na Bolsa de Londres, uma vez que a gigante de mineração anglo-suíça enfrenta dificuldades de convencer os investidores de que será capaz de atingir suas metas de endividamento líquido se os preços das commodities permanecerem fracos ou caírem ainda mais.

Analistas atribuem a queda da Glencore a uma série de fatores, que incluem indicadores fracos da China que mostram a desaceleração da segunda maior economia do mundo e preocupações de que a empresa tenha problemas para executar medidas, no valor de US$ 10 bilhões, de forma adequada e atingir o objetivo de reduzir sua dívida líquida em um terço, para cerca de US$ 20 bilhões, até o fim de 2016.

Recentemente, a Glencore levantou US$ 2,5 bilhões por meio de uma emissão de ações para diminuir o endividamento.

A empresa tenta agora arrecadar outros US$ 2 bilhões com a venda de ativos não estratégicos, mas alguns observadores preveem que esse processo será difícil.

A Glencore pretende vender participações em negócios de metais e agrícolas. Hoje, a mineradora anunciou a venda de um projeto de níquel no Brasil para a Horizonte Minerals, por US$ 8 milhões.

Por volta das 8h10 (de Brasília), os papéis da Glencore caíam 20,6% no mercado inglês, depois de chegarem a recuar mais de 27% mais cedo na sessão.