Ação da Ser Educacional sobe com negociações para adquirir Grupo Laureate

Companhia, que avalia a compra das universidades Anhembi Morumbi e FMU/Fiam, diz que até o momento não há qualquer acordo firmado a esse respeito
Ser Educacional: apesar da alta nesta segunda-feira, papéis acumulam perda de 21,9% no ano (Ser/Divulgação)
Ser Educacional: apesar da alta nesta segunda-feira, papéis acumulam perda de 21,9% no ano (Ser/Divulgação)
N
Natália Flach

Publicado em 20/07/2020 às 16:36.

Última atualização em 20/07/2020 às 17:35.

As ações da Ser Educacional subiram 15,31%, nesta segunda-feira, 20, com a confirmação de que está avaliando uma potencial transação envolvendo os ativos do Grupo Laureate no Brasil, que incluem as universidades Anhembi Morumbi e FMU/Fiam, em São Paulo, UniRitter, no Sul, e UNP, no Nordeste. A notícia foi inicialmente veiculada pelo Lauro Jardim, em O Globo, e confirmada no domingo pela companhia, que acrescentou que "até a presente data não há qualquer acordo firmado a esse respeito."

A estratégia de crescimento por meio de aquisições não é nova. Em abril do ano passado, a Ser comprou o Centro Universitário do Norte (Uninorte) por 194,8 milhões de reais.

Apesar da alta dos papéis, nesta segunda, a empresa acumula uma perda de 21,9% no ano. A queda acentuada se dá pelo cenário de incertezas para 2020. Por causa do isolamento social, especialistas estimam que a geração de caixa das instituições de ensino deve cair, em média, 20% neste ano em relação a 2019.

Ainda não é possível saber como vai ficar o ritmo de atração de novos alunos. Isso porque a desaceleração da economia combinada com o aumento do desemprego no Brasil deve mitigar ou adiar o interesse dos alunos mais pobres.