Inteligência Artificial

O emprego do futuro que pode ser "morto" pela inteligência artificial, segundo pesquisa

Os chamados modelos de linguagem ampla são mais do que capazes de escrever e "otimizar seus próprios prompts"

Engenheiros de prompts de comando são muito cobiçados pelas empresas (Stanislaw Pytel/Getty Images)

Engenheiros de prompts de comando são muito cobiçados pelas empresas (Stanislaw Pytel/Getty Images)

Publicado em 8 de março de 2024 às 10h02.

Última atualização em 8 de março de 2024 às 11h07.

Os engenheiros de prompts de comando eram tidos como os profissionais do futuro, pois trabalhariam dados de entrada, geralmente um bloco de texto, que podem produzir um resultado desejado a partir de ferramentas de inteligência artificial (IA) generativas como o ChatGPT.

De acordo com o Business Insider, algumas empresas estavam oferecendo salários de seis dígitos para o cargo, gerando preocupações de que ele poderia até substituir a cobiçada função de engenheiro de software.

Porém, ao que tudo indica, a IA também pode ser capaz de lidar com a engenharia imediata.

Pesquisadores da VMware, uma empresa de computação em nuvem sediada em Palo Alto, Califórnia, descobriram que os modelos de linguagem ampla (LLMs) são mais do que capazes de escrever e "otimizar seus próprios prompts".

No artigo The Unreasonable Effectiveness of Eccentric Automatic Prompts, Rick Battle e Teja Gollapudi quantificaram os impactos dos prompts de "pensamento positivo", que é quase exatamente o que parece.

A experiência demonstrou que os prompts escritos com otimismo podem, às vezes, produzir resultados de melhor qualidade a partir de ferramentas de IA generativas. Por exemplo, em vez de simplesmente escrever um comando para o LLM, um prompt de pensamento positivo poderia incluir mensagens como: "Isso será divertido!" ou "Respire fundo e pense com cuidado".

No entanto, os pesquisadores descobriram que o mais eficaz e que consome menos tempo é simplesmente pedir a um LLM para otimizar os prompts, que o estudo chama de "prompts gerados automaticamente".

Os pesquisadores da VMware descobriram até mesmo que os LLMs podem ser bastante criativos na produção dos melhores prompts.

Um exemplo fornecido no estudo foi um texto escrito por um modelo de machine learning que parecia ter saído de um episódio de Stark Trek.

"Comando, precisamos que você trace um curso através dessa turbulência e localize a origem da anomalia. Use todos os dados disponíveis e sua experiência para nos guiar nessa situação desafiadora", dizia o prompt, de acordo com o estudo.

Alguns especialistas alertam, porém, que isso não eliminará imediatamente os trabalhos de engenharia.

Tim Cramer, vice-presidente sênior de engenharia de software da Red Hat, que produz software de código aberto, disse à revista IEEE Spectrum que o setor de IA generativa está em constante evolução e continuará a precisar do envolvimento de humanos nesse processo.

"Não sei se vamos combinar isso com outro tipo de categoria ou função de trabalho", disse Cramer à revista. "Mas não acho que essas coisas vão desaparecer tão cedo. E o cenário está muito louco neste momento. Tudo está mudando muito. Não vamos descobrir tudo em poucos meses."

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Nova IA para Alexa? Amazon vai atualizar serviço e pretende cobrar por isso, diz site

A IA no cotidiano: entre a produtividade e o riso

OpenAI melhora processo de recrutamento por temer espiões chineses

A inteligência artificial consegue contar boas piadas? Pesquisadores fizeram o teste

Mais na Exame