Inteligência Artificial

Após chamar home office de erro, Sam Altman aluga escritório mais caro do Vale do Silício

CEO da OpenAI, gigante da inteligência artificial, tem agora o maior contrato de locação de escritório de São Francisco desde 2018, sinalizando uma mudança de maré para o mercado imobiliário em crise

Contrato assinado: a OpenAI ocupará 45.198,57 metros quadrados de um antigo edifício da Uber (Chip Somodevilla/Getty Images)

Contrato assinado: a OpenAI ocupará 45.198,57 metros quadrados de um antigo edifício da Uber (Chip Somodevilla/Getty Images)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 29 de outubro de 2023 às 08h14.

Última atualização em 29 de outubro de 2023 às 17h11.

Em sinal claro de que os negócios vão bem, a OpenAI, empresa pioneira em inteligência artificial, emergiu como um farol de esperança para o mercado imobiliário de São Francisco. Em um acordo histórico, a empresa confirmou a assinatura do maior contrato de locação de escritório na cidade desde 2018.

Este movimento ocorre em um período crítico para o setor imobiliário comercial do Vale do Silício, que vem enfrentando altas taxas de vacância e uma tendência crescente ao trabalho remoto em todo os Estados Unidos. Para São Francisco, uma cidade que lida com questões de criminalidade e desabrigados, o acordo com a OpenAI representa não apenas um alívio, mas um possível indicativo de renovação.

A OpenAI, conhecida por impulsionar a era da inteligência artificial com o lançamento do ChatGPT no ano passado, consolidou-se rapidamente como uma das empresas mais valiosas do mundo. Segundo relatos da Bloomberg deste mês, a empresa está em negociações para vender ações com uma avaliação de 86 bilhões de dólares e está a caminho de gerar 1 bilhão de dólares em receita anual.

O contrato de locação abrange dois edifícios pertencentes à Uber, que está ajustando seu uso de imóveis, localizados no campus da empresa de transporte na vizinhança de Mission Bay. No total, a OpenAI ocupará 45.198,57 metros quadrados no campus de quatro edifícios.

Embora o comparecimento aos escritórios nas grandes cidades ainda seja apenas cerca de metade do nível observado em 2019, conforme relatado pelo Wall Street Journal, o acordo com a OpenAI sinaliza um possível ponto de virada. Isso ocorre apesar da persistente pressão de CEOs de alto perfil para políticas de retorno ao escritório.

São Francisco registrou uma taxa recorde de vacância de escritórios de 33,9% - quase 2,787 quilômetros quadrados. listados para locação ou sublocação - no terceiro trimestre, como reportado pelo São Francisco Chronicle. A ausência desses funcionários tem impactado negativamente negócios locais, incluindo varejistas e restaurantes. A combinação de problemas com criminalidade levou várias empresas a desistirem da cidade. Em agosto, a Nordstrom, um dos varejistas símbolo da cidade, fechou sua loja vibrante.

Mudanças em curso

No entanto, a chegada da OpenAI oferece um vislumbre de otimismo. Além disso, outras empresas de IA também locaram espaços de escritório em São Francisco este ano. Hive AI, Hayden AI, Anthropic e Tome AI são algumas delas, totalizando quase 620.000 pés quadrados de espaço de escritório ocupado por empresas de IA na cidade.

"A esperança e o otimismo de que [a IA] possa ser o catalisador para o próximo ciclo de crescimento não apenas para o mercado imobiliário, mas para a economia de São Francisco, são palpáveis", disse Colin Yasukochi, diretor executivo do Tech Insights Center da CBRE, ao Chronicle. No entanto, ele ressalta que pode levar anos até que "esse ciclo de crescimento realmente exploda", se é que isso acontecerá.

Curiosamente, o fechamento do contrato da OpenAI ocorreu simultaneamente ao término de um experimento de retorno ao escritório por parte de outra empresa de tecnologia de São Francisco. A Expensify, com um valor de mercado de cerca de 215 milhões de dólares, anunciou esta semana que está fechando um sofisticado lounge de escritório.

Sam Altman, CEO da OpenAI, destacou a importância da colaboração presencial em um evento em São Francisco no início deste ano, ressaltando as limitações do trabalho remoto. "Acho que definitivamente um dos piores erros da indústria de tecnologia em muito tempo foi achar que todos poderiam trabalhar remotamente para sempre", disse ele. "Diria que o experimento sobre isso acabou, e a tecnologia ainda não é boa o suficiente para que as pessoas possam ser totalmente remotas para sempre, particularmente em startups."

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialOpenAIChatGPTSam Altman

Mais de Inteligência Artificial

Desmistificando a IA: como ela está transformando negócios e carreiras

IA vira arma para hackers e empresas se encontram sem profissionais qualificados

Para surfar a onda da IA, Samsung promete aos clientes fábrica de chips 20% mais rápida

Amazon enfrenta desafios para integrar IA generativa na Alexa, revelam ex-funcionários

Mais na Exame