Inteligência Artificial

Alibaba entra na guerra das IAs com atualização de novo modelo de linguagem corporativo

Chamada de Qwen2.5, a IA tem foco na compreensão de linguagem corporativa e criação códigos de programação

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 9 de maio de 2024 às 16h21.

Última atualização em 9 de maio de 2024 às 16h59.

A divisão de nuvem do Alibaba anunciou nesta na quinta-feira, 9, o lançamento oficial do seu modelo de linguagem em larga escala (LLMs, na sigla em inglês), após alcançar mais de 90 mil implementações de testes por clientes.

Segundo a Reuters, a empresa observou diversas aplicações inovadoras dos modelos em diferentes setores, incluindo e-commerces e jogos.

Jingren Zhou, diretor de tecnologia do Alibaba Cloud, destacou o entusiasmo em colaborar com clientes e desenvolvedores para explorar as grandes oportunidades de crescimento impulsionadas pelo recente avanço no desenvolvimento de IA generativa. Chamado de Qwen2.5, a IA do Alibaba apresenta avanços em raciocínio, compreensão de código e entendimento textual, principalmente no âmbito corporativo, em comparação ao seu antecessor, o Qwen2.0.

A guerra das IAs

Os LLMs, como o ChatGPT da OpenAI, são treinados com vastas quantidades de dados para gerar respostas humanizadas a comandos de usuários.

De acordo com uma análise de março da plataforma de avaliação de modelos de linguagem OpenCompass, o modelo Qwen mais recente supera o GPT-4 da OpenAI em capacidades linguísticas e de criação, mas apresenta desempenho inferior em categorias como conhecimento, raciocínio e matemática.

A Alibaba lançou o sua IA em abril de 2023, após o impacto global do ChatGPT, lançado em novembro de 2022. Uma versão atualizada foi lançada em outubro, com melhorias na compreensão de instruções complexas, redação, raciocínio e memorização, entre outras.

A Alibaba Cloud informou que mais de 2,2 milhões de usuários corporativos acessaram serviços de IA baseados no Qwen, como o DingTalk, resposta da Alibaba ao Slack. A empresa também lançou uma série de novos modelos Qwen para a comunidade de código aberto e aprimorou o Model Studio, sua plataforma de IA generativa, com novos recursos para desenvolvimento de IA.

Outros gigantes chineses da tecnologia, como Baidu e Tencent, também lançaram chatbots e modelos de IA similares em meio à crescente demanda por IA generativa.

Em abril, a Baidu relatou que seu bot Ernie ultrapassou 200 milhões de usuários após receber autorização para uso público em agosto. A IA generativa está acelerando o desenvolvimento de robôs humanoides na China, onde esses robôs podem auxiliar em trabalhos em fábricas por meio de visão computacional contextualizada, quando a IA entende o mundo por meio de vídeos, fotos ou documentos.

Acompanhe tudo sobre:AlibabaInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Musk retira processo contra OpenAI um dia após criticar acordo com Apple

O que o acordo OpenAI-Apple significa para Google e Microsoft

Mistral AI levanta US$ 645 milhões e atinge valor de US$ 6,5 bilhões

Senado defende aprovação de projeto de lei sobre inteligência artificial no Brasil

Mais na Exame