Primeiro hotel no espaço já planeja reservas para turistas; veja vídeo

Empresa promete acomodar 400 pessoas em um hotel de luxo com vista para a Terra, mas custo pode ser inviável

Para os amantes de viagem, a Terra não será mais o limite. A Orbital Assembly Corporation (OAC), a empresa aeroespacial por trás do projeto, divulgou recentemente imagens e vídeo do primeiro hotel espacial do mundo, que deve iniciar a construção em 2025 e, de acordo com a companhia, estar pronto em 2027.

O hotel de luxo, que será chamado de "Voyager Station", é dividido em cápsulas individuais presas em uma roda giratória e terá capacidade para acomodar 400 pessoas . A expectativa é vender partes dele para agências governamentais, que podem usar o ambiente para trabalho, e deixar o restante para turistas aventureiros.

O hotel também terá restaurantes temáticos, spa, cinema, academias, bibliotecas, salas de concerto, salas de observação da Terra e bares. Outras coisas como alojamento da tripulação, ar, água e energia também ocuparão uma parte. O site oficial do OAC ainda afirma que a cápsula voltada para esportes “vai se transformar em uma sala de concertos onde os maiores músicos do planeta vão agitar a estação enquanto ela circula o planeta”.

Por enquanto, nenhum custo de construção foi revelado, mas, para comparação, a Estação Internacional Espacial da Nasa custou 150 bilhões de dólares e tem capacidade de abrigar até seis astronautas. O site oficial enfatiza que a experiência de viajar até o espaço será para poucos, já que o preço para sair da Terra pode chegar até 25 milhões de dólares.

A estação espacial fará a volta pela Terra a cada 90 minutos e a rotação dela gerará uma gravidade artificial semelhante à da Lua. O objetivo da empresa é possibilitar a permanência de vários meses dentro do Voyager, por isso a rotação -- sem ela, humanos não conseguem ficar na estação espacial por muito tempo.

“A Voyager Station é uma estação espacial giratória projetada para produzir vários níveis de gravidade artificial, aumentando ou diminuindo a taxa de rotação. A gravidade artificial, ou simulada, é essencial para a habitação de longo prazo no espaço”, explica o site oficial.

“Esta será a próxima revolução industrial”, disse John Blincow, fundador da Gateway Foundation, que desenvolverá algumas das cápsulas do Voyager.

Um robô com o nome de STAR (Structure Trust Assembly Robot) construirá a estrutura do Voyager em órbita assim que a OAC finalizar alguns testes de gravidade. Tanto a Gateway Foundation quanto a OAC pedem às pessoas que invistam no projeto e façam reservas para uma futura visita.

Veja vídeo:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.