Carros autônomos serão permitidos nas estradas do Reino Unido em 2021

De início, o sistema autônomo será habilitado em rodovias com tráfego lento e de faixa única, com limite de velocidade de aproximadamente 60 quilômetros por hora
Carros autônomos: o Reino Unido é o nono país mais preparado para incorporar a novidade (Getty Images/Getty Images)
Carros autônomos: o Reino Unido é o nono país mais preparado para incorporar a novidade (Getty Images/Getty Images)
L
Laura Pancini

Publicado em 29/04/2021 às 14:17.

Última atualização em 29/04/2021 às 20:45.

O Reino Unido permitirá que carros autônomos circulem em suas estradas em 2021. Após definição na quarta-feira, 28, o país agora traça planos para introduzir regulamentos para veículos autônomos.

De acordo com estudo da KPMG, o Reino Unido é considerado o nono país mais preparado para a direção autônoma, ficando atrás de países como Cingapura, Noruega e Estados Unidos. A decisão feita nesta semana indica que os britânicos querem garantir sua posição como líder na direção autônoma mundial.

O sistema automatizado de manutenção de pista (ALKS, na sigla em inglês) que será utilizado não é totalmente autônomo. Ele é considerado Nível 3, enquanto a direção sem qualquer controle do motorista, presente em poucos veículos até o momento, é considerada Nível 5.

De início, o ALKS será habilitado em rodovias com tráfego lento e de faixa única, com limite de velocidade de aproximadamente 60 quilômetros por hora. Ele é diferente do piloto automático da Tesla, por exemplo, e permite que o motorista perca a atenção em alguns momentos, como tirar as mãos do volante ou os olhos da estrada.

Stan Boland, executivo-chefe da plataforma de treinamento de direção autônoma Five AI, disse que a introdução do ALKS quer dizer que o veículo ficará no controle primário pela primeira vez.

“Isso significa que o motorista pode tirar as mãos do volante, tirar os olhos da estrada e permitir que o sistema controle o veículo, o que obviamente requer um limite de segurança muito maior”, disse Boland. "Mas é um ponto de partida, porque veremos esse incremento da legislação para permitir velocidades mais altas e operar em ambientes mais complexos", finaliza.

Legisladores britânicos acreditam que a introdução de sistemas autônomos como o ALKS podem reduzir o erro humano, responsável por 85% dos acidentes no país, e melhorar a segurança no trânsito.

A ministra dos transportes no Reino Unido acredita que eles tomaram um "grande passo para o uso seguro de veículos autônomos", mas que "devemos garantir que essa nova tecnologia seja implantada com segurança". Em comunicado, ela afirma que eles estão consultando como devem ser as regras.

O Departamento de Transporte disse ainda que a introdução de veículos autônomos pode desencadear o "começo do fim" do congestionamento e ajudar a reduzir as emissões e melhorar a qualidade do ar.

Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME.