SHIB dispara, chega a 1 milhão de carteiras e é 5º maior token na Ethereum

Criptomoeda-meme volta a subir após vários dias de queda, atinge 1 milhão de endereços e já é o quinto maior token ERC-20 em número de endereços ativos

A criptomoeda shiba inu (SHIB) chegou à impressionante marca de 1 milhão de endereços nesta quinta-feira, 25. A marca é ainda mais importante para os entusiastas da criptomoeda-meme porque o ativo operava em forte queda nos últimos dias - e a resposta do mercado foi imediata, levando o ativo à uma alta de mais de 21% nas últimas 24 horas.

O marco atingido pelo projeto indica a quantidade de endereços (ou carteiras) que possuem alguma quantidade de SHIB armazenada - não significa, entretanto, que a criptomoeda tenha 1 milhão de investidores, já que uma mesma pessoa pode ter diversas carteiras.

Depois de multiplicar seu preço milhões de vezes desde o início do ano, a shiba inu experimentou sua maior alta em outubro, quando foi listada por algumas das maiores corretoras cripto do mundo, o que levou a SHIB ao seu recorde de preço de US$ 0,000088 no final do mês.

Desde então, no entanto, o preço do ativo despencou, chegando a ser negociado quase 70% abaixo da máxima. Nesta semana, alguns dados apontavam riscos de novas quedas, como a realização de lucros por grandes investidores e a queda no volume de buscas por termos relacionados à criptomoeda no Google. Isso entretanto, acabou não se confirmando, ou pelo menos não por enquanto, e a criptomoeda-meme autointitulada "matadora da dogecoin" voltou a experimentar um forte movimento de alta nesta quinta.

Segundo dados do Etherscan, que monitora a atividade na rede Ethereum, onde o token circula, já são 1.000.930 endereços com pelo menos uma unidade do token SHIB guardada.

O número coloca a shiba inu como o quinto token ERC-20 com mais endereços na rede Ethereum, atrás de Tether (USDT), Livepeer, CarLive Chain e USD Coin (USDC) - ao todo, existem mais de 470 mil tokens ERC-20 em circulação no segundo blockchain mais conhecido do mundo, também segundo o Etherscan.

Apesar de aparecer na quinta colocação, o token SHIB tem, na realidade, mais investidores do que pelo menos duas das quatro criptomoedas à sua frente na lista. Isso porque, com exceção das duas stablecoins lastreadas no dólar (USDT e USDC), as outras duas criptomoedas com mais carteiras à frente da shiba inu têm muitos endereços porque fizeram grandes "airdrops", como são chamados os eventos em que os emissores de um ativo digital distribuem tokens para endereços aleatórios mesmo que os seus proprietários não tenham pedido.

Com o aumento do interesse pelo ativo nas últimas horas, o valor de mercado da shiba inu saltou de 20 para 25 bilhões de dólares, recolocando a criptomoeda no 12º lugar no ranking dos maiores ativos digitais do mundo por valor de mercado. A dogecoin, que foi ultrapassada pela SHIB em outubro e conseguiu retomar a liderança entre as criptomoedas-meme, tem market cap de 30 bilhões e é a 10ª colocada no ranking geral.

No momento, os tokens SHIB são negociados a US$ 0,000044. Apesar de ainda somar perdas de 6% nos últimos 30 dias, a shiba inu é de longe um dos criptoativos que mais valorizaram em 2021, com ganhos de mais de 100.000.000% desde o início de janeiro, quando era negociada a US$ 0,000000000073, segundo dados do site de estatítsticas CoinMarketCap.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também