Future of Money

Investidores processam FTX, Tom Brady e Stephen Curry por perdas de R$ 58 bilhões

Ação coletiva promovida nos Estados Unidos busca indenização após falência da segunda maior corretora de criptoativos do mundo

FTX (Reuters/Reuters)

FTX (Reuters/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de novembro de 2022 às 14h29.

Última atualização em 16 de novembro de 2022 às 14h46.

Um grupo de investidores processou a corretora de criptoativos FTX pelas perdas que tiveram com a falência da empresa, que chegariam a até US$ 11 bilhões (R$ 58,87 bilhões, na cotação atual). Além da exchange, o jogador de futebol americano Tom Brady, a modelo Gisele Bündchen e os jogadores de basquete Stephen Curry e Shaquille O’Neal estão entre os processados.

O processo foi aberto na Flórida, nos Estados Unidos, e acusa diversos nomes de terem violado as leis do estado por terem desenvolvido um "esquema fraudulento fabricado para tirar vantagem de investidores não sofisticados ao redor do país, que utilizaram aplicativos para fazer investimentos".

(Mynt/Divulgação)

Os famosos citados no processo foram contratados pela FTX em algumas ocasiões para participarem de anúncios e conquistar novos clientes para a exchange, que se tornou a segunda maior do mundo. O Golden State Warriors, um time de basquete que tinha uma parceria com a empresa, também está entre os processados.

A ação coletiva vai se somar a investigações que já estão sendo realizadas pelas autoridades norte-americanas sobre a crise da FTX e as práticas da empresa, acusada de usar recursos dos seus clientes como se fossem da própria exchange.

O fundador da FTX, Sam Bankman-Fried, também está entre os processados. Ele era o CEO e principal rosto da empresa até a semana passada, quando renunciou para abrir espaço para os procedimentos de falência iniciados pela exchange.

De acordo com a Bloomberg, Bankman-Fried está sendo investigado pelo FBI e por autoridades das Bahamas - sede da FTX e onde o empresário estaria vivendo. Agências dos países estariam em contato para que SBF, como o ex-CEO é conhecido, fosse extraditado para os Estados Unidos para que ele possa ser interrogado.

A Agência de Investigação de Crimes Financeiros da Turquia anunciou nesta semana que também iniciou investigações sobre a falência da FTX e o papel de pessoas e instituições no caso, mas não deu mais detalhes até o momento.

Comece seu portfólio de criptomoedas. A Mynt é uma empresa BTG Pactual para você comprar e vender crypto com segurança e atendimento 24 horas. Abra agora sua conta e desbloqueie seu mundo crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:CriptoativosCriptomoedasEstados Unidos (EUA)Processos judiciais

Mais de Future of Money

Chiliz muda blockchain após perda de espaço e queda de fan tokens

Liquidez no mercado de criptomoedas meme atinge maior nível da história

Milei diz que "não há problemas" para usar bitcoin em pagamentos na Argentina

Investidores do token do Coritiba recebem quase R$ 1 milhão após venda de jogador

Mais na Exame