Budweiser entra na onda e compra NFT e domínio Beer.eth por R$ 635 mil

Marca de cerveja da AB InBev entra no mercado de criptoativos pela "porta" dos NFTs e compra arte digital e endereço para carteira cripto

A cervejaria norte-americana Budweiser, subsidiária da AB InBev, é mais uma gigante a entrar no mercado de criptoativos pela "porta" dos tokens não-fungíveis - os chamados NFTs. Na terça-feira, 24, a companhia comprou uma arte digital em blockchain, e foi além: adquiriu também o domínio Beer.eth. Ao todo, foram 122 mil dólares investidos nas operações, ou cerca de 635 mil reais.

Na última terça, a empresa comprou, na plataforma OpenSea, um NFT de criptoarte, chamado "Life of the Party", que faz alusão à marca de cerveja. A obra custou 8 ETH, equivalente a cerca de 26 mil dólares. A arte tokenizada virou também a imagem da perfil da sede norte-americana da cervejaria no Twitter.

O NFT do foguete de latas de cerveja Budweiser faz parte de uma coleção criada por Tom Sachs, um famoso artista contemporâneo norte-americano, que sempre foi aficcionado pelo espaço e pelas expedições Apollo, que inclusive, serviram de inspiração para a colaboração do artista com a Nike, que resultaram na coleção NIKECraft, responsável por alguns dos tênis mais incônicos da marca, que hoje são vendidos por milhares de dólares.

Antes disso, porém, a companhia já havia comprado, por 30 ETH, ou mais de 96 mil dólares, o domínio Beer.eth, utilizando a ferramenta Ethereum Name Service, que permite escolher nomes e termos fáceis de ler e escrever para uso como endereço de uma carteira - normalmente composto por uma sequência longa e ilegível de letras e números.

Ao adquirir o NFT, entretanto, a cervejaria tornou público o endereço da sua carteira, o que provocou uma enxurrada de transações para a mesma - a maioria, claro, como forma de brincadeira ou autopromoção dos remetentes. Agora, a carteira da Budweiser já conta com 15 NFTs - inclusive um chamado "A Gift for Budweiser" (ou "Um Presente para a Budweiser") e até uma arte digital com um desenho de um pênis.

Não é a primeira vez que uma marca de cervejas adota o mercado de criptoativos e a tecnologia blockchain através dos NFTs. Em junho, a marca Stella Artois, também da AB InBev, lançou, no Reino Unido, uma série de acessórios alusivos à marca no jogo de corrida de cavalos e plataforma de NFTs colecionáveis Zed Run.

Além disso, a própria AB InBev também já demonstrou interesse pela tecnologia blockchain, mas neste caso não para diversão: a holding tem testado uma solução em blockchain para monitorar a cadeia de produção e distribuição das suas cervejas.

Recentemente, a Visa também anunciou a compra do seu primeiro NFT. No caso da gigante de pagamentos, o token comprado foi da série CrpyotPunks, que consiste em pequenos desenhos de 24 por 24 pixels, com aparência 8-bit, e características que distinguem um desenho do outro, como gênero, cor da pele, do cabelo e acessórios. A depender da combinação, o NFT é mais, ou menos, raro - e mais, ou menos, valioso. O "punk" comprado pela Visa custou 49,5 ETH - ou mais de 805 mil reais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também