Acompanhe:

O Rio Open, principal torneio de tênis da América do Sul que está prestes a comemorar sua décima edição de 19 a 25 de fevereiro de 2024 no Jockey Club Brasileiro (RJ), recebeu pelo terceiro ano consecutivo o prestigiado certificado de 'Carbono Neutro' da Organização das Nações Unidas (ONU).

Ao longo das três edições mais recentes do Rio Open, as iniciativas sustentáveis da plataforma Rio Open Green têm sido eficazes, resultando na neutralização de quase 3 mil toneladas de CO2e provenientes tanto do evento em si quanto do deslocamento dos espectadores, somando cerca de 60 mil pessoas por ano. Essa conquista se materializa através de créditos de carbono derivados da produção de energia renovável da Jirau Energia, usina que tem como uma das acionistas a Engie, patrocinadora do Rio Open.

Compromisso Green

Em conversa exclusiva com o Esporte Executivo, Marcia Casz, diretora-geral do Rio Open, reafirmou o compromisso Green: “Acreditamos que o esporte é uma potente plataforma para mobilizar pessoas e levar mensagens para um amplo público. Queremos ser agentes e disseminadores da cultura da sustentabilidade, da diversidade e da inclusão. Há dez anos mantemos núcleos onde crianças e jovens são iniciados na prática do tênis. Desde 2020, passamos a investir no pilar ambiental e climático da sustentabilidade, para mitigar e compensar o impacto ambiental de nossas atividades”, aponta.

Perguntada se as iniciativas transcendem a relação material, Marcia Casz lembra o viés educacional: “Entre outras iniciativas, estamos investindo também na educação do público. Em outra importante frente, desde a última edição, colocamos uma Ouvidoria à disposição das pessoas que vão ao Rio Open para se divertir ou para trabalhar. O objetivo é criar um canal de atendimento e acolhimento, e sinalizar de forma clara que não toleramos qualquer tipo de discriminação, e repudiamos assédios moral e sexual”.

Reciclagem

O evento conseguiu reciclar 90% dos resíduos produzidos durante sua edição deste ano, incluindo os resíduos orgânicos destinados à compostagem. A reciclagem representa uma ação prioritária, sendo que apenas 10% do resíduo total do evento foi enviado para o aterro, incluindo todo o período de montagem e desmontagem, fato considerado um marco importante na história do torneio. A reutilização de material também foi foco da gestão dos resíduos do Rio Open. Durante o torneio, as cordas das raquetes utilizadas nas competições foram transformadas em pulseiras. A organização do evento contribuiu ativamente, fornecendo lonas para cooperativas parceiras, coletando tampinhas de garrafas para iniciativas futuras e redirecionando bolas e sobras de uniformes para projetos sociais.

Agora, o torneio já iniciou campanha de neutralização de carbono relacionado ao deslocamento dos torcedores para o torneio em 2024, com o início desta operação por meio do site neutralizarioopen.com.br. Ali, os torcedores que comprarem ingresso para o Rio Open 2024 poderão neutralizar o carbono que eles produzirão no percurso para o torneio, seja de avião, carro, ônibus ou outro meio de transporte.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
A 'marca' Mbappé: entenda pedido do atacante para proteção de sobrenome e comemoração
Esporte

A 'marca' Mbappé: entenda pedido do atacante para proteção de sobrenome e comemoração

Há 6 horas

Popó x Bambam: quanto os astros das lutas ganharam no combate do Fight Music Show
Esporte

Popó x Bambam: quanto os astros das lutas ganharam no combate do Fight Music Show

Há 7 horas

Nego do Borel x MC Gui: saiba quanto os cantores faturaram com a luta no Fight Music Show
Esporte

Nego do Borel x MC Gui: saiba quanto os cantores faturaram com a luta no Fight Music Show

Há 8 horas

Jogos de hoje, segunda-feira, 26; onde assistir e horários
Esporte

Jogos de hoje, segunda-feira, 26; onde assistir e horários

Há 9 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais