Roupas da Reserva com 40% de desconto? Troc foca em moda circular e vende peças de coleções passadas

Marcas do grupo Arezzo&Co se unem e plataforma de roupas usadas passa a vender também itens novos, de coleções passadas, da Reserva

Luana Toniolo, CEO e fundadora da Troc, à frente (Nicolas Caligaro/Divulgação)
Luana Toniolo, CEO e fundadora da Troc, à frente (Nicolas Caligaro/Divulgação)
Marina Filippe
Marina Filippe

Repórter de ESG

Publicado em 20 de fevereiro de 2024 às 08h32.

Última atualização em 20 de fevereiro de 2024 às 08h33.

A startup de compra e venda de peças usadas Troc foi desenvolvida, em 2015, com o objetivo de fortalecer a economia circular na moda brasileira. Agora, em um movimento inédito, a plataforma que faz parte da Arezzo&Co desde 2020, passa a vender também peças novas de coleções passadas de outras marcas do grupo: a Reserva e a Reserva Go.

O projeto, intitulado Outlet passa a ser fixo após um teste iniciado em 2022, e tem peças com até 40%. Atualmente, a categoria representa mais de 20% do negócio. "Acreditamos que temos uma oportunidade de ressignificar a indústria da moda, ao dar uma nova vida aos itens já produzidos. Estamos não apenas reduzindo o impacto ambiental, mas também abrindo portas para um mercado extremamente promissor, o de off price”, diz Luana Toniolo, fundadora e CEO da Troc.

Em entrevista ao podcast ESG de A a Z, da EXAME, Toniolo comenta como a marca deixa de ser exclusivamente um brechó para encontrar oportunidades com as outras marcas da Arezzo&Co. De acordo com ela, a ação abre caminho para que outras marcas do grupo possam seguir o mesmo modelo de Reserva, permitindo girar estoques passados na plataforma, assim como já acontece, também, com Arezzo, Schutz e Alexandre Birman.

Parceira entre Reserva e Troc

Os itens enviados pela Reserva passarão pelo mesmo processo que as peças de segunda mão recebidas diariamente, inclusive no que diz respeito à higienização."Temos uma operação em linha de produção para receber, higienizar, etiquetar, anunciar e vender a peça. É uma 'fábrica de logística reversa'", diz Toniolo. 

Desde 2016, o trabalho desenvolvido pela TROC gerou uma economia de 1,5 bilhão de litros de água e na diminuição da emissão de 1.816,6 toneladas de CO² na atmosfera do planeta, quando comparado a quantidade de peças que seriam produzidas. Além de significar 227,9 toneladas de roupas a menos em aterros sanitários e 21 milhões de pessoas impactadas pela plataforma.

Acompanhe tudo sobre:RoupasModaArezzo

Mais de ESG

Assaí busca fortalecer negócios locais com prêmio para pequenos empreendedores, incluindo informais

Transição energética exigirá US$ 4 trilhões por ano até a próxima década, estima BlackRock

Borboletas são 'termômetro' na medição das mudanças climáticas

40% das empresas de capital fechado assumem compromissos climáticos versus 70% das de capital aberto

Mais na Exame