Receber compras e chamar ambulância: casas de Paraisópolis entram no Maps

Parceria do Google, Americanas S.A., G10 e Favela Brasil Xpress leva Plus Codes para favela de Paraisópolis em São Paulo. Iniciativa permite que endereços sejam encontrados em plataformas digitais para transporte, serviços e entregas na porta de casa
 (André Silva/ Cria Brasil/Reprodução)
(André Silva/ Cria Brasil/Reprodução)
M
Marina Filippe

Publicado em 05/05/2022 às 16:23.

Última atualização em 06/05/2022 às 10:53.

Apesar do avanço da digitalização, especialmente a partir da pandemia de covid-19, receber uma entrega na porta de casa depois de fazer uma compra online ainda não é a realidade de muitos. Isto porque 17 milhões de brasileiros ainda não têm um endereço formal.

Entre eles, estava Alexandra Pereira Silva, de 46 anos, moradora da favela de Paraisópolis, em São Paulo. Ela, que buscava as encomendas nas casas de amigos ou em pontos de coletas organizados nas regiões onde morou, desde esta quinta-feira, 5, passou a imaginar o momento em que irá comprar e, pela primeira vez, receber um televisor na porta de casa. "Quando peço comida, por exemplo, preciso passar o endereço da via mais próxima e descer quando escuto o motoboy gritar pelo meu nome", diz.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se

Agora a realidade da Alexandra e de outras famílias de Paraisópolis começa a mudar. Isto porque em uma iniciativa inédita em área urbana na América Latina, a Americanas S.A., o Google e a startup de logística Favela Brasil Xpress, em parceria com o G10 Favelas, disponibilizam endereço digitais aos moradores de Paraisópolis.

A novidade é um importante pilar de inclusão social, considerando que as favelas são potências, e com compradores recorrentes. "Tenho quatro filhos (de 12, 14, 18 e 21 anos), moro com os três mais novos e amamos comprar. A novidade vai facilitar muito para nós. Eu já tive de, por exemplo, esperar o salário cair para pegar duas conduções e ir buscar um produto. Agora isso vai mudar", diz Alexandra.

Na prática, essas famílias passam a ter seus códigos fixados na porta — assim como as placas de números residenciais — e podem usar o código para serem encontradas no Google Maps. Os endereços são gerados a partir do Plus Codes, uma tecnologia aberta e gratuita desenvolvida em 2014 por engenheiros do Google na Calfórnia, Estados Unidos. A função pode ser utilizada também para outros serviços como ambulâncias e carros de aplicativo.

"Não queremos ser separados por CEPs, somos parte do Brasil e precisamos ser localizados, utilizando nossos endereços para ações básicas e de direitos, por exemplo", diz Gilson Rodrigues, presidente do G10 Favelas.

Na primeira etapa do projeto foram mapeados endereços de 4 mil famílias próximos ao pavilhão do G10 Favelas. Na segunda etapa, no próximo semestre, serão levadas em consideração as famílias com compras recorrentes em e-commerces, apliando o total para 30 mil casas, até se alcançar toda a comunidade, hoje com 100 mil habitantes.

O Plus Code e as entregas

O Plus Code é gratuito e baseado em código aberto, além de ser totalmente integrado com o Google Maps e o Waze. A tecnologia permite converter os Plus Codes, que são códigos curtos semelhantes a códigos postais, em latitude e longitude, que são as coordenadas informadas no GPS.

O processo de coleta de dados em campo, assim como a confeccção e fixação de placas com os novos endereços e, posteriormente, a entrega de encomendas estão a cargo da Favela Brasil Xpress.

O Google irá disponibilizar acesso à ferramenta Address Maker — aplicativo gratuito do Android que permite que governos e ONGs criem endereços facilmente usando Plus Codes — para o time da Favela Brasil Xpress, além de treinar a equipe da startup para realizar a coleta de endereços e atualizar o mapa com as vias faltantes.  

O Google Cloud, por sua vez, irá fornecer créditos de nuvem para a Americanas S.A., que concentrará os investimentos na operacionalização do projeto na comunidade e entre os entregadores, e na integração em seus sites e apps de e-commerce.

Já Americanas S.A., que opera em Paraisópolis desde de abril de 2021, irá integrar seu e-commerce ao Plus Codes. A companhia faz entregas por meio de parceria com a Favela Brasil Xpress.

"No total, entregamos 700 mil pacotes de diferentes empresas em um ano de operação em sete favelas, isto significa a movimentação de R$ 400 milhões", diz Giva Pereira, CEO e fundador da Favela Brasil Xpress. Agora, na parceria com Americanas S.A. e existência dos Plus Codes o processo ficará mais digital e fluído.

"Criamos um sistema próprio de logística para incluir as favelas no e-commerce brasileiro. Os endereços nos Plus Codes irão facilitar e quebrar barreiras que não deveriam existir", diz Giva.

Com o projeto piloto, ao realizar um pedido nos e-commerces da Americanas S.A., o morador de Paraisópolis poderá informar o código para garantir a entrega dos produtos na sua casa. A novidade integra a estratégia ESG da Americanas S.A. e contribui de forma direta para o ODS — Objetivo de Desenvolvimento Sustentável — 10 da Agenda 2030 da ONU, com foco em reduzir as desigualdades.

“Esse projeto reflete, na prática, o nosso propósito de somar o que mundo tem de bom para melhorar a vida das pessoas. Estamos somando o conhecimento de duas gigantes em seus segmentos, que são a Americanas S.A. e o Google, ao poder de transformação da Favela Brasil Xpress para mudar as realidades”, diz Bruna Saboia, gerente de sustentabilidade da Americanas S.A. “Além de ampliar o alcance da iniciativa Americanas na Favela, a nova tecnologia eleva a enorme potência que é a comunidade de Paraisópolis, tornando os moradores visíveis aos olhos do mundo”. 

Para Milena Leal, diretora de negócios do Google Cloud no Brasil, o projeto em Paraisópolis está alinhado com o objetivo do Google Cloud de apoiar clientes na resolução de desafios que impactam diretamente o negócio. “Nosso papel é oferecer às empresas, além da infraestrutura e segurança, a capacidade de inovar em seus segmentos de atuação e ampliar o acesso a suas plataformas para cada vez mais brasileiros”, destaca Milena. “Estamos felizes em contar com a parceria da Americanas S.A. e da Favela Brasil Xpress neste projeto importante e que terá papel fundamental na inclusão digital dos moradores de Paraisópolis.”  

Veja também