Para mulheres, falta inclusão efetiva nas políticas de diversidade, aponta pesquisa

Pesquisa da plataforma Women Leadership, realizada com 500 mulheres em evento de tecnologia, revela opiniões sobre a diversidade de gênero nas empresas e os desafios enfrentados
Mulheres do setor de tecnologia revelam desafios no mercado (Jay Yuno/Getty Images)
Mulheres do setor de tecnologia revelam desafios no mercado (Jay Yuno/Getty Images)
M
Marina FilippePublicado em 11/08/2022 às 10:00.

O tema da diversidade é cada vez mais presente nas empresas, especialmente aquelas que entendem os benefícios das práticas ESG (sigla em inglês para ambiental, social e governança) nos negócios. Contudo, ainda faltam políticas efetivas para a inclusão.

Receba gratuitamente a newsletter da EXAME sobre ESG. Inscreva-se aqui

Como resultado, grupos socialmente minorazados nas companhias, sentem mais os impactos da falta de estruturação do tema. Um exemplo disto é o que acontece com as mulheres, especialmente quando em áreas com maior presença de homens, como tecnologia. No setor, 38% das mulheres sentem a falta respaldo das empresas em ações que promovem políticas de diversidade e equidade, segundo pesquisa realizada em julho pela plataforma de educação Women Leadership, com cerca de 500 mulheres que participaram do evento Elas lideram na tecnologia.

Além disso, para 20,7% das participantes é preciso investimento em educação corporativa, seguido de 20,5% que acreditam que faltam discussões construtivas em torno do tema. E, aproximadamente 20% das mulheres defendem a necessidade de se ter vagas exclusivas para elas.

"É preciso ter a consciência de que investir em liderança feminina não deve ser uma ação protocolar com o intuito de apenas equiparar estatísticas. É preciso valorizar o potencial das mulheres, pois podemos causar impactos reais nos negócios com inovação, engajamento e representatividade", afirma Isa Quartarolli, CEO e fundadora da Women Leadership.

O estudo também revelou um certo avanço da ocupação das mulheres no departamento de tecnologia das empresas. Das 500 respondentes, 175 (isto é, 35,1%) declararam que a área em que trabalham dentro da empresa tem mais de 10 mulheres atuantes. Por outro lado, segundo 192 mulheres (38,6%), o departamento de tecnologia em que atuam têm entre 1 a 3 mulheres.

"Os números mostram a todo o momento que ainda existe muito trabalho a ser feito. As empresas precisam destinar esforços para, no mínimo, equiparar essa diferença que ainda é gritante. Por mais que tímidos avanços venham ocorrendo, não há como negar que as mulheres ainda são minorias no setor", diz Isa.

Muitos são os desafios a serem vencidos, e para quem ainda não se consolidou na área a luta é ainda maior. De acordo com 161 mulheres (32,3%), o que falta são oportunidades, sem contar o machismo (21,9%), que representa um grande desafio a ser vencido.

Incentivo e capacitação são ações que precisam ser tomadas dentro das organizações para que consigamos equiparar as diferenças. Para 34,9% das mulheres é preciso mais incentivo e capacitação para promover a inclusão das mulheres no setor. Já 26,1% acreditam que é preciso promover cargos de liderança focados na diversidade; e 18,1% acreditam que a promoção de políticas de equidade pode ser o caminho.

"A  diversidade tem potencial de proporcionar muito mais rentabilidade para o negócio. Portanto, incentivar a presença das mulheres na tecnologia é benéfico para todos os envolvidos", afirma Isa.

Leia também