Acompanhe:

Na contramão do mundo, estes países vão aumentar consumo de carvão em 2021

Estados Unidos, China e Índia irão aumentar o consumo em até 16% devido à alta na demanda por eletricidade e preços elevados do gás natural

Modo escuro

Continua após a publicidade
Carvão: os três principais consumidores no mundo irão usar ainda mais carvão em 2021 (Divulgação/Getty Images)

Carvão: os três principais consumidores no mundo irão usar ainda mais carvão em 2021 (Divulgação/Getty Images)

W
Will Wade, da Bloomberg

Publicado em 16 de março de 2021 às, 15h59.

Os três maiores consumidores de carvão do mundo planejam aumentar tanto o uso do combustível fóssil mais poluente que quase ofuscarão a queda das emissões provocada pela pandemia.

As usinas dos EUA vão consumir 16% a mais de carvão neste ano do que em 2020, e mais 3% em 2022, disse a Administração de Informações sobre Energia na semana passada. China e Índia, que juntas respondem por quase 65% da demanda, não têm planos de cortes no curto prazo.

Isso se traduzirá em emissões mais altas, um revés para a ação climática antes das negociações internacionais deste ano destinadas a elevar o nível de ambição dos compromissos sob o Acordo de Paris para reduzir os gases de efeito estufa. Nos Estados Unidos, o aumento pode minar a iniciativa de Joe Biden para restabelecer o país como líder ambiental e aumentar a pressão sobre o presidente americano para implementar rapidamente sua agenda climática.

“Veremos um aumento realmente acentuado das emissões”, com o consumo de carvão nas usinas dos EUA retornando quase aos níveis de 2019, disse Amanda Levin, analista de políticas do Conselho de Defesa de Recursos Nacionais, em Nova York. Mas, se Biden implementar políticas de energia verde conforme o esperado, “poderíamos realmente ver mudanças muito rapidamente”.

O aumento do consumo de carvão nos EUA decorre da alta dos preços do gás natural e da recuperação do impacto da pandemia. No caso da China e da Índia, é um reflexo da crescente demanda por eletricidade que mantém o carvão como fonte dominante de geração de energia, mesmo ao adicionar grandes quantidades de capacidade solar e eólica.

Embora o estímulo da Covid de Biden não se concentre em energia verde, um projeto de lei de infraestrutura pendente deve incluir planos para cumprir suas promessas de campanha sobre mudança climática, tornando os EUA mais bem posicionados para garantir o progresso na redução das emissões globais. Biden disse que os EUA buscarão a neutralidade de carbono até 2050 e convocou uma reunião em abril que deverá incluir a China e a Índia.

O presidente da China, Xi Jinping, surpreendeu o mundo com sua promessa no ano passado de zerar as emissões líquidas até 2060. A Índia ainda não assumiu nenhum compromisso semelhante.

Últimas Notícias

Ver mais
Lula reclama do alto preço das passagens aéreas em meio à indefinição do 'Voa Brasil'
Brasil

Lula reclama do alto preço das passagens aéreas em meio à indefinição do 'Voa Brasil'

Há 5 dias

Energia nuclear é defendida como alternativa na transição energética
ESG

Energia nuclear é defendida como alternativa na transição energética

Há 6 dias

ANP: Preços do etanol sobem em 17 Estados e no DF, caem em 5 e ficam estáveis em outros 4
Economia

ANP: Preços do etanol sobem em 17 Estados e no DF, caem em 5 e ficam estáveis em outros 4

Há uma semana

Alckmin pede que Senado aprove rapidamente PL do Combustível do Futuro
Brasil

Alckmin pede que Senado aprove rapidamente PL do Combustível do Futuro

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais