Acompanhe:

Endeavor abre inscrições para programa de aceleração de empreendedores

Foco está em companhias com soluções voltadas para energia limpa, combate a mudanças climáticas, crédito de carbono, ESG e criptoativos. A Endeavor visa alcançar 40% de representatividade de gênero e de raça na rede até 2025

Modo escuro

Continua após a publicidade
Aceleração de empreendedores pela Endeavor: objetivo é alcançar 40% de representatividade de gênero e de raça na rede até 2025 (Anchiy/Getty Images)

Aceleração de empreendedores pela Endeavor: objetivo é alcançar 40% de representatividade de gênero e de raça na rede até 2025 (Anchiy/Getty Images)

M
Marina Filippe

Publicado em 9 de dezembro de 2022 às, 07h01.

O programa de aceleração de empresas Scale-Up Endeavor está com seleção aberta e foco em companhias com soluções voltadas para energia limpa, combate a mudanças climáticas, crédito de carbono, ESG e criptoativos. Para a primeira turma de 2023, buscam-se negócios de todas as regiões do país e segmentos de atuação, que apresentem alto potencial de crescimento, diferenciais competitivos claros e um modelo de negócios comprovado pelo mercado.

“Temos visto tendências que apontam para o crescimento de greentechs, ou seja, negócios voltados para energia limpa, combate a mudanças climáticas, crédito de carbono e ESG, e também startups cripto, que têm ganhado mais espaço no mercado de soluções financeiras. Esses tipos de negócios chamam nossa atenção e devem liderar soluções importantes para desafios da sociedade”, diz Guilherme Camargo, Coordenador de Busca e Seleção do Programa Scale-Up Endeavor.

Em 2021, o Scale-Up Endeavor acelerou 249 empresas, lideradas por 533 empreendedoras e empreendedores. Juntas, elas faturaram mais de R$10 bilhões e empregaram mais de 24 mil pessoas no ano passado. Willbank, Cora, Solfácil, Vórtx, Fluency e Sami passaram pelo programa em 2021, enquanto Educbank, Hartb, Kamino, Eureciclo, Agrolend e Carbonext são algumas das participantes deste ano.

Como funciona o programa

A metodologia de aceleração da Endeavor busca ajudar empreendedoras e empreendedores a enfrentar desafios da escala nas frentes de pessoas e cultura, crescimento e estratégias, além de acesso a capital. As jornadas individuais e coletivas contam com a participação de empreendedores como Isis Abbud da Arquivei; Robson Privado, da MadeiraMadeira; Ann Williams, da Creditas; Geraldo Thomaz da VTEX; Maíra Gracini, do Ebanx; Stelleo Tolda, do Mercado Livre; e Mariana Dias, da Gupy.

O programa reúne as scale-ups por setor/modelo de negócios, tipos de desafios de crescimento, maturidade e estágio de captação de recursos, além da experiência prévia das empreendedoras e empreendedores. O objetivo é promover compartilhamento de experiências com pares que estão no mesmo estágio de maturidade e também com pessoas que já passaram pelo desafio e estão alguns anos na frente.

“Ter uma rede de apoio é fundamental para lidar com os desafios de escalar um negócio. Por isso, participar da aceleração faz toda a diferença, possibilitando que as empreendedoras e os empreendedores estruturem as bases que vão levar a empresa a um novo patamar”, diz Camargo.

Participar do Scale-Up Endeavor também oportuniza que as empresas sejam investidas pelo Scale-Up Ventures, fundo de co-investimento de impacto da Endeavor no Brasil. Fundos qualificados da rede Endeavor avaliam a escalabilidade e o potencial de crescimento da scale-up, além de, segundo a organização, resiliência ética e potencial de impacto das fundadoras e fundadores. PagaLeve, Gringo, BHub, IsaLab e Conexa são exemplos de negócios que receberam aportes do fundo.

A aceleração ocorrerá de fevereiro a junho, no formato híbrido, com alguns encontros presenciais em São Paulo. É possível manifestar interesse até 16/12 pelo site.

Diversidade e inclusão

A Endeavor tem realizado iniciativas de busca e seleção de mulheres e pessoas negras à frente de scale-ups para participarem do programa, visando alcançar 40% de representatividade de gênero e de raça na rede até 2025. O site está aberto para receber recomendações de mulheres e pessoas negras empreendedoras.

Com as ações de diversidade e inclusão, a presença de mulheres fundadoras no Scale-Up Endeavor cresceu de 18%, em 2020, para 29% no segundo semestre de 2022. O número está acima dos 9,4% observados no ecossistema de scale-ups, de acordo com o Estudo Female Founders realizado em parceria com a Distrito e B2Mamy.

O percentual de fundadores negros na última turma, que chegou a 17,4%, também é maior que o visto no ecossistema. Segundo o Mapeamento de Comunidades da Abstartups, apenas 5,8% dos fundadores no Brasil são negros.

 

Últimas Notícias

Ver mais
Casa dos Ventos aposta no Brasil como protagonista da transição energética
seloApresentado por CASA DOS VENTOS

Casa dos Ventos aposta no Brasil como protagonista da transição energética

Há 4 horas

IA pode usar mais energia do que toda a Índia até 2030, afirma CEO da Arm
Inteligência Artificial

IA pode usar mais energia do que toda a Índia até 2030, afirma CEO da Arm

Há 6 horas

Ministro diz que em reunião com Nunes reforçou disposição para ajustes no setor de distribuição
Brasil

Ministro diz que em reunião com Nunes reforçou disposição para ajustes no setor de distribuição

Há um dia

Enel SP apresenta a Nunes plano de investimento de R$ 6,2 bilhões entre 2024 e 2026
Brasil

Enel SP apresenta a Nunes plano de investimento de R$ 6,2 bilhões entre 2024 e 2026

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais