Acompanhe:

As pesquisas dos temas relacionados ao ESG (sigla em inglês para sustentabilidade, social e governança) estão cada vez mais robustas e norteiam os próximos passos de governos, setor privado e sociedade civil. Exemplo disto é a quantidade de dados divulgados nesta semana para desmatamento, queimadas, uso da energia solar, e acesso bancário nas favelas do Brasil. Pensando nisto, a EXAME ESG reuniu os estudos divulgados ao longo da semana.

Brasil gera 26 GW de energia solar e investimentos somam R$ 130,7 bi em 12 anos

Para começar, levantamento aponta que, de 2012 a 2023, os investimentos em sistemas solares fotovoltaicos somaram cerca de R$ 130,7 bilhões. Ao todo, foram gerados cerca de 780,1 mil empregos no período. Os negócios na área resultaram em R$ 39,2 milhões em arrecadações destinadas aos cofres públicos, como aponta a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Ainda segundo a entidade, o Brasil conta atualmente com, aproximadamente, 2,3 milhões de sistemas solares fotovoltaicos instalados em telhados, fachadas e pequenos terrenos.

Desmatamento em áreas protegidas da Amazônia diminui 73% em 2023

As áreas protegidas da Amazônia tiveram em 2023 o menor desmatamento desde 2014, aponta o monitoramento por imagens de satélite do instituto de pesquisa Imazon. De acordo com a organização, a devastação dentro de terras indígenas e unidades de conservação passou de 1.431 km² em 2022 para 386 km² em 2023. Isto é uma diminuição de 73%, quase quatro vezes menos.

A redução superou a queda geral na derrubada, que passou de 10.573 km² em 2022 para 4.030 km² em 2023, um decréscimo de 62%. Com isso, o desmatamento registrado de janeiro a dezembro do ano passado foi o menor em cinco anos.

Monitor do Fogo: Brasil queimou área maior que o Acre ou o Ceará em 2023

Enquanto os dados de desmatamento na área protegida da Amazônia melhoram - ainda que aos poucos - mais de 17,3 milhões de hectares foram queimados no Brasil em 2023. Isto representa uma área maior que o território de alguns estados da federação, como Acre ou Ceará, de acordo com os dados inéditos da plataforma Monitor do Fogo do MapBiomasA plataforma também compara os hectares queimados com o tamanho do Uruguai.

O aumento em relação a 2022, quando 16,3 milhões de hectares foram atingidos pelo fogo, foi de 6%. A área atingida pelo fogo no ano passado foi de aproximadamente 2% do território brasileiro. O pico das queimadas ocorreu nos meses de setembro e outubro, com 4 milhões de hectares atingidos pelo fogo em cada mês.

Companhias abertas estão mais preocupadas em divulgar dados ESG, mostra KPMG

Neste cenário, a divulgação de informações ESG (sigla em inglês para sustentabilidade, social e governança) está mais frequente nos formulários de referência das companhias brasileiras e chega a 76%, de acordo com o estudo “A Governança Corporativa e o Mercado de Capitais”, do ACI Institute, da KPMG.

Isto é uma alta de 12% em relação à edição anterior, evidenciando maior preocupação com transparência e abordagem do tema. O levantamento teve como base os formulários de referência de 282 companhias abertas, sendo que mais da metade (65%) delas estão atrelando indicadores ESG à remuneração variável de conselhos de administração e C-levels.

Bancos nas favelas 

Os bancos digitais  e aplicativos de bancos tradicionais estão amplamente em uso nas favelas, é o que aponta o relatório de Tendências Publicitárias para 2024, com foco nas periferias brasileiras, promovido pela NÓS - Pesquisas, um dos braços de atuação do NÓS – Inteligência e Inovação Social. De acordo com a publicação, 61% dos moradores de favelas têm conta digital e 59% têm conta corrente. Sendo que 61% usam o Nubank, 44% a Caixa e 39% o PicPay. A divulgação da NÓS - Pesquisas mostra ainda tendências de consumo, papel dos influenciadores e empreendedorismo.

"É Favela, e ponto final”, assume o IBGE

O termo favela também repercutiu essa semana quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou o uso oficial. Sobre isto, Celso Athayde, escreve: "E agora, que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou o uso oficial do termo “favela”? É hora de dar adeus ao termo “aglomerado subnormal”, pois de subnormal as favelas brasileiras não têm nada. O que tem nas favelas, e muito, são os talentos mil, as mentes criativas, os negócios inovadores, as pessoas que inspiram, que servem de ponte e de conexão para outras pessoas -- todas esperando serem vistas, à procura de uma oportunidade. Reconhecer isto não significa ignorar a existência dos problemas, que não poucos".

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Marina Silva está na lista das personalidades mais influentes da Time
ESG

Marina Silva está na lista das personalidades mais influentes da Time

Há 2 dias

Brasil alcança 2 milhões de residências com energia solar; veja o ranking dos estados
ESG

Brasil alcança 2 milhões de residências com energia solar; veja o ranking dos estados

Há 2 dias

Bombeiros batalham pelo 2º dia contra incêndio no prédio da antiga Bolsa de Copenhague
Mundo

Bombeiros batalham pelo 2º dia contra incêndio no prédio da antiga Bolsa de Copenhague

Há 2 dias

Grande incêndio atinge o edifício da antiga bolsa de Copenhague
Mundo

Grande incêndio atinge o edifício da antiga bolsa de Copenhague

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais