ESG
Acompanhe:

CBA lança selo de alumínio de baixo carbono e ferramenta de transparência sustentável

Da criação do selo de origem sustentável do alumínio à adoção de ferramentas de comunicação digital, a CBA reafirma seu compromisso com práticas ESG

Responsabilidade ambiental: CBA se compromete a ter transparência com sua pegada de carbono (Getty Images/Reprodução)

Responsabilidade ambiental: CBA se compromete a ter transparência com sua pegada de carbono (Getty Images/Reprodução)

D
Da Redação

28 de novembro de 2022, 10h00

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3) acaba de lançar o Alennium, selo exclusivo que legitima o alumínio produzido como sendo de baixo carbono. Com a novidade, a companhia procura facilitar a identificação de produtos desenvolvidos com baixa emissão de carbono e que colaboram para a sustentabilidade

A companhia produz alumínio com 100% de energia de fontes renováveis, emitindo 2,56 t CO2e/t alumínio na sua etapa de eletrólise, onde o alumínio primário é produzido, enquanto a média mundial é de 12,8 t CO2e/t alumínio, segundo dados do Instituto Internacional do Alumínio (IAI)

“Ao criar o selo Alennium atestamos que o alumínio da CBA é sustentável, agregando valor a toda a cadeia produtiva. O selo poderá ser utilizado pelos clientes diretos da CBA e também em embalagens e demais aplicações, que contenham o nosso alumínio, destinadas ao consumidor final”, afirma Leandro Faria, gerente geral de sustentabilidade da CBA. 

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Compromisso com mudanças climáticas

A CBA quer reafirmar seu compromisso com as questões climáticas, ao assumir a meta de diminuir ainda mais suas emissões de carbono em 40% no indicador de produtos fundidos, desde a etapa de mineração. A companhia também é a primeira produtora de alumínio primário do mundo a ter metas de redução de emissões aprovadas pelo Science Based Targets, alinhadas com o Acordo de Paris para combate às mudanças climáticas.  

Adicionalmente, as práticas de produção do alumínio da CBA são certificadas pela ASI (Aluminium Stewardship Initiative) entidade com reconhecimento global que atesta os elevados padrões mundiais de gestão, processos e produtos.  

“Chegamos ao momento em que precisamos, não somente realizar, mas também incentivar parcerias e boas práticas de sustentabilidade. Por isso, convidamos nossos clientes e parceiros a aderirem ao uso do selo, de modo a multiplicarmos o conhecimento sobre produtos de baixo carbono e motivarmos a sua escolha”, comenta Faria. 

Novas tecnologias 

A CBA criou o “Passaporte Digital”,  uma nova ferramenta que usa tecnologia blockchain para rastrear informações de sustentabilidade e emissões de carbono do alumínio produzido pela empresa. A ferramenta poderá ser acessada por meio de um link ou QR Code. 

“Não é de hoje que a CBA vem desenvolvendo novas tecnologias e métodos para ser cada vez mais transparente e ampliar sua agenda ESG. Adotamos o passaporte digital para que ele sirva como uma fonte confiável de informações do nosso alumínio, a fim de que o comprador saiba, em detalhes, características técnicas, de produção, de emissões de gases do efeito estufa e da origem do produto que ele está adquirindo da Companhia”, informa Faria. 

Assine a newsletter EXAME ESG, com os conteúdos mais relevantes sobre diversidade e sustentabilidade nos negócios