Esfera Brasil
Acompanhe:

Saiba quem são as mulheres que comandarão o Banco do Brasil e a Caixa Econômica

Funcionárias de carreira de ambas instituições financeiras, a paraibana Tarciana Medeiros e a paulista Rita Serrano foram nomeadas por Fernando Haddad.

Esfera Brasil: conheça as novas comandantes do BB e Caixa Econômica (Twitter/Reprodução)

Esfera Brasil: conheça as novas comandantes do BB e Caixa Econômica (Twitter/Reprodução)

E
Esfera Brasil

Publicado em 16 de janeiro de 2023, 10h30.

Duas mulheres foram indicadas pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para assumirem neste mês a presidência dos principais bancos públicos do país: Rita Serrano comandará a Caixa Econômica Federal e Tarciana Medeiros, o Banco do Brasil.

A paraibana Medeiros, de 44 anos, será a primeira mulher a presidir o BB desde que a instituição foi fundada, em 1808. Formada em Administração de Empresas e pós-graduada em Administração, Negócios e Marketing e em Liderança, Inovação e Gestão, a paraibana Medeiros trabalhou como feirante e professora antes de ingressar no banco em 2000.

Ao longo de 10 anos, ela teve cargos na rede varejo, em agências e superintendências. Desde 2021, atuava como executiva da Gerência de Experiência do Cliente e Soluções PF (Pessoa Física). Neste cargo, segundo ela descreve em seu perfil no Linkedin, era responsável pelas equipes que desenvolvem e aplicam modelos preditivos de análise do comportamento de consumo dos clientes, gestão do ciclo de relacionamento para cada proposta de valor e elaboração da estratégia de expansão e rejuvenescimento da base de clientes.

Rita Serrano, de 53 anos, é a 4ª mulher a assumir a presidência da Caixa, depois de Maria Fernanda Ramos Coelho (2006-2011), Miriam Belchior (2015-2016) e Daniella Marques (2022).

Formada em estudos sociais e história, com mestrado em administração, a paulista de Santo André é funcionária do banco desde 1989 e, desde 2014, integrava o Conselho de Administração da Caixa.

A nova presidente da CEF tem especialização em governança corporativa para conselheiros pelo IBGC (Instituto Brasileiro Governança Corporativa) e, entre 2006 e 2012, presidiu o Sindicato dos Bancários do ABC paulista.