Economia

Yellen diz que a relação EUA-China está ‘mais estável’, mas que ainda há espaço para melhora

Secretária do Tesouro norte-americano enfatizou as práticas comerciais que colocam as empresas e os trabalhadores dos EUA em desvantagem competitiva

Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos (Alex Wong/Getty Images)

Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos (Alex Wong/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 7 de abril de 2024 às 09h21.

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, reuniu-se neste domingo, 7, com o primeiro-ministro chinês Li Qiang em Pequim e transmitiu uma mensagem de cooperação mútua, apesar das diferenças entre as duas nações.

A prioridade de Yellen durante sua visita à China foram as práticas comerciais que colocam as empresas e os trabalhadores dos EUA em desvantagem competitiva.

“Embora ainda tenhamos coisas a fazer, acho que no último ano colocamos nosso relacionamento bilateral em uma base mais estável”, disse ela a Li no ornamentado Fujian Hall do edifício Great Hall of the People, a oeste da Praça Tiananmen.

“Isso não significa ignorar nossas diferenças ou evitar conversas difíceis”, disse Yellen. “Significou entender que só podemos progredir se nos comunicarmos direta e abertamente uns com os outros.”

Li disse que o interesse da mídia dos EUA na visita de Yellen “mostra a expectativa que eles têm (...) e também a expectativa e a esperança de desenvolver” o relacionamento entre os dois países.

A reunião ocorreu depois que Washington e Pequim concordaram, no sábado, em realizar “intercâmbios intensivos” sobre um crescimento econômico mais equilibrado, de acordo com um comunicado dos EUA divulgado depois que Yellen e o vice-presidente chinês He Lifeng realizaram longas reuniões de dois dias na cidade de Guangzhou, no sul do país.

Eles também concordaram em iniciar contatos para combater a lavagem de dinheiro. Inicialmente, não estava claro quando e onde essas conversas começariam.

“Como as duas maiores economias do mundo, temos o dever para com nossos próprios países e para com o mundo de gerenciar de forma responsável nosso complexo relacionamento e de cooperar e demonstrar liderança na abordagem de desafios globais urgentes”, disse Yellen.

Ela também estava programada para se reunir no domingo com o prefeito de Pequim, Yin Yong, e com estudantes e professores da Universidade de Pequim.

Acompanhe tudo sobre:ChinaEstados Unidos (EUA)Janet Yellen

Mais de Economia

Após pedido do governo, Zanin suspende liminar que reonera a folha de pagamentos por 60 dias

Haddad: governo anuncia na próxima semana medidas sobre impacto e compensação da desoneração

Fiergs pede ao governo Lula flexibilização trabalhista e novas linhas de crédito ao RS

É possível investir no exterior morando no Brasil?

Mais na Exame