Economia

Vendas no varejo se mantêm em nível recorde na série histórica em março, aponta IBGE

O dado ficou perto da mediana negativa de 0,3% das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast com o mercado financeiro

Vendas do varejo: índice fica estável em março ante fevereiro, mostra IBGE (Thinkstock/Thinkstock)

Vendas do varejo: índice fica estável em março ante fevereiro, mostra IBGE (Thinkstock/Thinkstock)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 8 de maio de 2024 às 11h07.

As vendas do comércio varejista ficaram estáveis em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 8, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, o varejo se manteve operando em patamar recorde na série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em 2000.

"Como havia alcançado o maior nível da série no mês anterior, com a estabilidade, o patamar recorde se desloca de fevereiro para março de 2024", apontou o IBGE.

O dado ficou perto da mediana negativa de 0,3% das estimativas na pesquisa do Projeções Broadcast com o mercado financeiro. A pesquisa teve intervalo que ia de queda de 2,0% a expansão de 0 8%. Na comparação com março de 2023, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 5,7% em março. As projeções, todas de alta, variavam de 2,5% a 6,9%, com mediana de 4,8%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 5,9% no ano, que tem como base de comparação o mesmo período do ano anterior. No acumulado em 12 meses até março, houve alta de 2,5%, ante avanço de 2,3% até fevereiro.

Varejo ampliado

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção, de veículos e de atacado alimentício, as vendas caíram 0,3% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal. Neste caso, a mediana do mercado indicava crescimento de 0,6%. As estimativas iam de recuo de 1,0% a expansão de 2,0%.

Na comparação com março de 2023, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 1,5% em março. A mediana indicava crescimento de 0,1%, após alta de 9,7%. As projeções eram de queda de 3,6% a alta de 5,3%. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam avanço de 4 6% no ano. No acumulado em 12 meses até março, houve alta de 2,9%, ante avanço de 3,6% até fevereiro.

Acompanhe tudo sobre:VarejoIBGE

Mais de Economia

Em 4 anos, rotas de integração vão ligar Brasil à Ásia, prevê Tebet

Anatel poderá retirar do ar sites de e-commerce por venda de celulares irregulares

Carteira assinada avança, e número de trabalhadores por conta própria com CNPJ recua

Em 2023, emprego foi recorde e número de trabalhadores com ensino superior chegou a 23,1%

Mais na Exame