Suécia quer reduzir imposto para estimular cultura do reparo

O governo sueco tem um plano intrigante para incentivar os consumidores a reutilizar os seus itens antigos em vez de simplesmente substituí-los por novos

São Paulo – Políticas de incentivos fiscais geralmente entram em cena para estimular o consumo de novos bens e serviços e, por tabela, aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) potencial de um país. Mas, agora, a Suécia pretende lançar mão desse mecanismo de uma forma diferente: o país não faz muita questão de que as pessoas comprem novas roupas, bikes e eletrodomésticos, mas que elas consertem esses produtos.

O plano intrigante do governo sueco busca reduzir a cultura do descarte e incentivar hábitos mais sustentáveis. Para isso, o país pretende baixar o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), que incide sobre a despesa ou consumo e tributa o “valor acrescentado” das transações efetuadas, para serviços de reparo.

A proposta, que será votada pelo parlamento sueco em dezembro, poderá reduzir em até 25% a taxa de imposto IVA aplicado aos consertos de bicicletas, roupas e sapatos, a fim de incentivar os consumidores a reutilizar os seus itens antigos em vez de simplesmente substituí-los.

Ela também permitirá que os consumidores peçam a devolução de até metade do imposto de renda sobre o custo de reparos de aparelhos de grandes dimensões, como fogões, geladeiras e máquinas de lavar.

“Acreditamos que isso poderia reduzir substancialmente o custo e assim tornar mais racional o comportamento econômico para reparação de bens”, disse ao The Guardian, Per Bolund, ministro da Suécia para os mercados financeiros e membro do Partido Verde.

Com a medida, as autoridades suecas também esperam reduzir as emissões de carbono do país e sua pegada ecológica, além de proporcionar emprego para imigrantes sem educação formal com  oflorescimento da indústria de reparos.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

ATENÇÃO: Mudança na sua assinatura da revista EXAME. A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos apenas uma edição por mês. Saiba mais