Acompanhe:

Reforma administrativa está pronta, confirma Bolsonaro

O texto deve propor o fim da estabilidade automática para futuros servidores; ideia é definir tempo para atingir a estabilidade, de acordo com cada carreira

Modo escuro

Continua após a publicidade
Jair Bolsonaro: presidente também defendeu privatização dos Correios (Foto: Carolina Antunes/PR/Flickr)

Jair Bolsonaro: presidente também defendeu privatização dos Correios (Foto: Carolina Antunes/PR/Flickr)

A
Agência Brasil

Publicado em 22 de fevereiro de 2020 às, 12h57.

O presidente Jair Bolsonaro andou pela região da Praia das Astúrias, no Guarujá (SP), na manhã deste sábado (22) de feriado de Carnaval. Em uma rápida entrevista com uma equipe de televisão, o presidente confirmou que o texto da reforma administrativa está fechado e será entregue ao Congresso Nacional após o Carnaval.

"A reforma administrativa agora está pronta, depois do Carnaval a gente apresenta", afirmou. O texto deve propor o fim da estabilidade automática para futuros servidores públicos. A ideia seria definir um tempo para atingir a estabilidade, de acordo com cada carreira e com uma avaliação de desempenho.

Outro objetivo da medida, segundo o governo, seria reduzir o número de carreiras, atualmente em torno de 300, e que os salários para quem entrar na carreira pública passem a ser menores. Todas as mudanças, se forem aprovadas, só serão válidas para os futuros servidores públicos, e não para os atuais.

Privatizações

O presidente voltou a defender o programa de privatizações e citou os Correios, como exemplo de empresa pública que o governo pretende desestatizar.

"A ideia nossa é privatizar os Correios, a gente sabe que não é fácil fazer as privatizações, muitas passam pelo Parlamento, [com] a nova decisão do Supremo Tribunal Federal. Nós queremos é desinchar o Estado. Eu quero deixar o meu governo no futuro com o Estado mais leve", disse.

 

Sobre a reforma tributária, Bolsonaro disse que o governo deve apresentar uma proposta contemplando mudanças nas regras apenas dos impostos federais.

"Tenho falado para o Paulo Guedes se preocupar com os impostos federais, se botar estados e municípios, vai acontecer o que eu vi ao longo de 28 anos dentro da Câmara, não se resolve", disse.

Carnaval

O presidente passa o Carnaval no Forte dos Andradas, no Guarujá, litoral paulista. Ele embarcou no início da tarde desta sexta-feira (21) e deve descansar no local até terça-feira (25). A filha Laura acompanha Jair Bolsonaro na viagem. Já a primeira-dama, Michelle, permaneceu em Brasília com familiares. O horário de retorno à capital federal ainda não foi informado pela assessoria presidencial.

O forte é sede da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea do Exército. O mesmo local foi utilizado pelo presidente durante o recesso de janeiro, e em outras ocasiões no ano passado, também para períodos de descanso. A unidade militar dá acesso a uma praia privada.

Últimas Notícias

Ver mais
Pacheco se opõe a Lira e diz ser contra PEC que proíbe operações no Congresso
Brasil

Pacheco se opõe a Lira e diz ser contra PEC que proíbe operações no Congresso

Há 3 dias

Bolsonaro é internado em São Paulo e passa por bateria de exames
Brasil

Bolsonaro é internado em São Paulo e passa por bateria de exames

Há 4 dias

Advogados de Bolsonaro negam confissão sobre minuta de golpe
Brasil

Advogados de Bolsonaro negam confissão sobre minuta de golpe

Há 4 dias

Bolsonaro volta a pedir afastamento de Moraes de inquérito sobre golpe
Brasil

Bolsonaro volta a pedir afastamento de Moraes de inquérito sobre golpe

Há 5 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais