Economia

Presidente do BNDES defende urgência em leilão da Cedae

A expectativa do BNDES é que o leilão possa ser realizado no primeiro trimestre de 2021

Montezano: "Para cada real gasto em saneamento você economiza cinco em saúde...O apelo que eu faço aqui é da urgência desse caso" (Valter Campanato/Agência Brasil)

Montezano: "Para cada real gasto em saneamento você economiza cinco em saúde...O apelo que eu faço aqui é da urgência desse caso" (Valter Campanato/Agência Brasil)

R

Reuters

Publicado em 23 de novembro de 2020 às 11h49.

Última atualização em 23 de novembro de 2020 às 12h19.

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, defendeu nesta segunda-feira que o edital de concessão da companhia de saneamento do Rio de Janeiro, Cedae, seja publicado ainda neste ano, sob pena do processo correr riscos.

"O edital precisa sair esse ano; o povo do Rio de Janeiro merece que o edital seja lançado esse ano para não correr riscos", disse Montezano em evento online da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

"Para cada real gasto em saneamento você economiza cinco em saúde...O apelo que eu faço aqui é da urgência desse caso", acrescentou.

Na sexta feira, fontes disseram à Reuters que há um impasse sobre a definição do preço da água que a Cedae remanescente vai vender ao futuro concessionário que assumirá as áreas de distribuição e tratamento e coleta de esgoto da estatal.

Se não houver uma definição sobre o valor nesta semana, o processo de concessão pode atrasar ou até mesmo não sair diante do calendário eleitoral, afirmaram as fontes. A expectativa do BNDES é que o leilão possa ser realizado no primeiro trimestre de 2021.

 

Acompanhe tudo sobre:BNDESCedaeConcessõesRio de Janeiro

Mais de Economia

Cigarro pode ser taxado em 250% e cerveja em 46%, estima banco

Cade analisa se parceria entre Gol e Azul precisa ser submetida ao órgão

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho

'Esta semana fiquei nervoso porque vi o preço do arroz muito caro no supermercado', diz Lula

Mais na Exame