Economia

Preço do etanol cai em 21 Estados e no DF, mostra ANP; preço médio recua 1,42% no País

Em São Paulo, a cotação média caiu 2,06%, de R$ 3,40 para R$ 3,33

Etanol: em São Paulo, a cotação média caiu 2,06%, de R$ 3,40 para R$ 3,33 (Nico De Pasquale Photography/Getty Images)

Etanol: em São Paulo, a cotação média caiu 2,06%, de R$ 3,40 para R$ 3,33 (Nico De Pasquale Photography/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 26 de dezembro de 2023 às 08h50.

Os preços médios do etanol hidratado caíram em 21 Estados e no Distrito Federal, subiram em 2 e ficaram estáveis em 3 na semana até o dia 23. O levantamento é da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas.

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o preço médio do etanol caiu 1,42%, de R$ 3,51 o litro na semana anterior para R$ 3,46 o litro.

Em São Paulo, principal Estado produtor, consumidor e com mais postos avaliados, a cotação média caiu 2,06%, de R$ 3,40 para R$ 3,33.

A maior queda porcentual na semana, de 3,22%, foi registrada em Mato Grosso do Sul, onde o litro passou de R$ 3,42 para R$ 3,31.

A maior alta na semana ocorreu no Paraná, onde o litro do etanol que custava em média R$ 3,74, passou a R$ 3,75 (avanço de 0 27%).

O preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 2,69 o litro, em São Paulo. O maior preço, de R$ 6,60, foi registrado no Pará. Já o menor preço médio estadual, de R$ 3 15, foi observado em Mato Grosso, enquanto o maior preço médio foi registrado no Amapá, de R$ 5,34 o litro.

Na comparação mensal, o preço médio do biocombustível no País caiu 2,54%. A maior alta no período, de 3,85%, foi registrada no Ceará. A maior queda no mês foi observada em Sergipe, de 10,80%.

Acompanhe tudo sobre:EtanolCombustíveis

Mais de Economia

Câmara aprova taxação de compras em sites como Shein e AliExpress; texto segue para sanção

Exclusivo: o que pode mudar na PEC que amplia autonomia do BC e pode economizar R$ 5 bi

Pacheco devolve parte da MP sobre créditos do PIS/Cofins

Banco Mundial projeta crescimento global de 2,6% e de 2,2% para o Brasil em 2024

Mais na Exame