Pix supera cartão de crédito, mostra pesquisa do Banco Central

No segundo trimestre, foram 5,4 bilhões de transações, contra 4 bilhões em cartões de crédito e 3,8 bilhões no débito
Os pagamentos via Pix ultrapassou os feitos com cartão de crédito pela primeira vez no quarto trimestre de 2021 e continuaram a crescer desde então (Rafael Henrique/SOPA/Getty Images)
Os pagamentos via Pix ultrapassou os feitos com cartão de crédito pela primeira vez no quarto trimestre de 2021 e continuaram a crescer desde então (Rafael Henrique/SOPA/Getty Images)
A
Agência O GloboPublicado em 23/11/2022 às 13:34.

As transações feitas através do Pix continuam superando os pagamentos com cartões de crédito e débitos, segundo dados divulgados pelo Banco Central. No segundo trimestre deste ano, foram feitas mais de 5,4 bilhões de transações por meio de Pix, a ferramenta de pagamentos e transferência de dinheiro lançada há dois anos, em comparação com quase quatro bilhões de pagamentos feitos com cartões de crédito e e 3,8 bilhões com cartões de débito.

Os pagamentos via Pix ultrapassou os feitos com cartão de crédito pela primeira vez no quarto trimestre de 2021 e continuaram a crescer desde então.

Assine a EXAME por menos de R$ 0,37/dia e acesse as notícias mais importantes do Brasil em tempo real.

Em setembro, dois meses antes de completar o segundo ano de existência, o Pix chegou à marca de R$ 1 trilhão transacionado em apenas um mês. O número de pessoas cadastradas no Pix chegou a 127,8 milhões em outubro e o de empresas, a 10,5 milhões no mesmo mês.

O aplicativo Pix permite que qualquer pessoa com conta em banco faça pagamentos ou envie e receba instantaneamente dinheiro através de um sistema gratuito e relativamente fácil de navegar. Isso é particularmente importante para proprietários de pequenas empresas tenham acesso imediato aos valores, sem ter que esperar dias até que as compras com cartão de crédito sejam compensadas.

Em ‘discurso de despedida’: Guedes agradece servidores e nega que haverá ‘herança maldita’

Vendedores ambulantes exibindo QR, os códigos que direcionam os clientes aos seus números Pix, tornaram-se um cena bastante comum em cidades de todo o Brasil.

O BC informou ainda que o sistema foi o principal responsável por um crescimento anual de 40% no número total de transações realizadas no ano passado. Telefones celulares, usados ​​por muitos ou por causa do Pix ou dos aplicativos bancários, tornou-se o principal instrumento para compras, respondendo por 60% de todos os pagamentos efetuados no último ano

LEIA TAMBÉM: