Economia

Mercado vê inflação superar 6% este ano e maior aperto monetário em 2022

O levantamento semanal divulgado nesta segunda-feira apontou que a expectativa para a alta do IPCA este ano chegou a 6,07%, de 5,97% na semana anterior

PIB: O Itaú Unibanco elevou sua projeção para o PIB do Brasil em 2022 de 1,6% para 2% (Paulo Whitaker/Reuters)

PIB: O Itaú Unibanco elevou sua projeção para o PIB do Brasil em 2022 de 1,6% para 2% (Paulo Whitaker/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 5 de julho de 2021 às 09h13.

Última atualização em 5 de julho de 2021 às 09h16.

 A projeção do mercado para a inflação neste ano ultrapassou a marca de 6% e os especialistas consultados na Boletim Focus do Banco Central passaram a ver maior aperto monetário em 2022.

 Quer ser um planejador financeiro? Conheça o curso preparatório CFP mais completo do mercado

O levantamento semanal divulgado nesta segunda-feira apontou que a expectativa para a alta do IPCA este ano chegou a 6,07%, de 5,97% na semana anterior, superando em muito o teto da meta oficial --3,75% com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para 2022 o cálculo para a inflação teve leve ajuste para baixo de 0,01 ponto percentual, a 3,77%, contra meta de 3,50% também com margem de 1,5 ponto.

Com a inflação elevada, os economistas passaram a ver a taxa básica de juros em 6,75% no ano que vem, de 6,50% esperados antes. Para este ano permaneceu o cenário de Selic a 6,50%.

Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), houve melhora na estimativa de crescimento para este ano, com a expansão calculada em 5,18%, ante 5,05%. Para o ano que vem também houve ajuste de 0,01 ponto percentual para baixo, a um crescimento esperado de 2,10%.

  • Juros, dólar, inflação, BC, Selic. Entenda todos os termos da economia. Assine a EXAME 
Acompanhe tudo sobre:Banco CentralBoletim Focuseconomia-brasileiraInflaçãoPolítica monetária

Mais de Economia

Presidente do BNDES quer taxas menores para linha de crédito para reconstrução do RS

Congresso tem toda a legitimidade de disciplinar compras internacionais por lei, afirma Haddad

Governo define que casas de apostas devem se regularizar até o fim de 2024 para funcionar no Brasil

Haddad diz que nível do IVA será menor que os impostos atuais

Mais na Exame