Economia

Mercado reduz mais uma vez expectativas para IPCA e PIB em 2020

A queda desta semana para o IPCA é a nona seguida. Expectativa de crescimento da economia em 2020 passou de 2,20% para 2,17%, conforme o relatório Focus

Supermercado: expectativa dos preços tem sido reduzida (Germano Lüders/Exame)

Supermercado: expectativa dos preços tem sido reduzida (Germano Lüders/Exame)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 2 de março de 2020 às 10h18.

Última atualização em 2 de março de 2020 às 11h52.

Sao Paulo — Os economistas do mercado financeiro alteraram levemente a previsão para o IPCA - o índice oficial de preços - em 2020. O Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira, 2, pelo Banco Central, mostra que a mediana para o IPCA neste ano foi de alta de 3,20% para 3,19%. Há um mês, estava 3,40%. A projeção para o índice em 2021 seguiu em 3,75%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar. A queda desta semana para o IPCA é a nona seguida.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2022, que seguiu em 3,50%. No caso de 2023, a expectativa permaneceu em 3,50%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,50% para ambos os casos.

A projeção dos economistas para a inflação está abaixo do centro da meta de 2020, de 4,00%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,50% a 5,50%). No caso de 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). Já a meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%). No início de fevereiro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA subiu 0,25% em janeiro.

No Focus agora divulgado, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2020 permaneceu em 3,16%. Para 2021, a estimativa do Top 5 seguiu em 3,73%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,40% e 3,75%, nesta ordem.

No caso de 2022, a mediana do IPCA no Top 5 permaneceu em 3,50%, ante 3,50% de um mês atrás. A projeção para 2023 no Top 5 seguiu em 3,50%, também ante 3,50% de quatro semanas antes.

A projeção mediana para o IPCA de 2020 atualizada com base nos últimos 5 dias úteis passou de 3,22% para 3,20%, conforme o Relatório de Mercado Focus. Houve 64 respostas para esta projeção no período. Há um mês, o porcentual calculado estava em 3,35%.

No caso de 2021, a projeção do IPCA dos últimos 5 dias úteis passou de 3,75% para 3,70%. Há um mês, estava em 3,75%. A atualização no Focus foi feita por 59 instituições.

Os economistas do mercado financeiro alteraram a previsão para o IPCA em fevereiro de 2020, de alta de 0,17% para 0,16%. Um mês antes, o porcentual projetado indicava inflação de 0,23%.

Para março, a projeção no Focus foi de alta de 0,18% para 0,17% e, para abril, seguiu em alta de 0,35%. Há um mês, os porcentuais de alta eram de 0,22% e 0,34%, respectivamente.

A inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 3,52% para 3,56% de uma semana para outra - há um mês, estava em 3,44%.

Preços administrados

O relatório do BC indicou nesta manhã alteração na projeção para os preços administrados em 2020. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano foi de alta de 3 68% para 3,60%. Para 2021, a mediana seguiu em alta de 3,80%. Há um mês, o mercado projetava aumentos de 3,79% e de 3,80% para os preços administrados em 2020 e 2021, respectivamente.

PIB

A expectativa de crescimento da economia em 2020 passou de 2,20% para 2,17%, conforme o relatório. Há quatro semanas, a estimativa de alta era de 2,30%.

Para 2021, o mercado financeiro manteve a previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB), de 2,50%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo patamar.

No mês de fevereiro, o BC informou que seu Índice de Atividade (IBC-Br) teve baixa de 0,27% em dezembro ante novembro, na série com ajustes sazonais. Em relação a dezembro de 2018, houve alta de 1,28%.

Em dezembro, o BC atualizou, por meio do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), sua projeção para o PIB em 2020, de alta de 1,8% para elevação de 2,2%.

No Focus desta segunda-feira, a projeção para a produção industrial de 2020 passou de alta de 2,33% para 2,41%. Há um mês estava em 2,21%. No caso de 2021, a estimativa de crescimento da produção industrial permaneceu em 2,50%, igual a quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2020 foi de 56,77% para 56,90%. Há um mês, também estava em 56,90%. Para 2021, a expectativa foi de 57,70% para 57 82%, ante 58,00% de mês atrás.

Acompanhe tudo sobre:Boletim FocusInflaçãoSupermercados

Mais de Economia

EUA: Fed deve reduzir capital exigido a bancos em proposta regulatória

China anuncia investigação antidumping sobre produtos químicos importados da UE e dos EUA

Após pedido do governo, Zanin suspende liminar que reonera a folha de pagamentos por 60 dias

Haddad: governo anuncia na próxima semana medidas sobre impacto e compensação da desoneração

Mais na Exame