Mercado americano busca proteção em derivativos de crédito

Até julho, volume de negociação de títulos corporativos americanos atingiu uma média de US$ 39,3 bilhões por dia
Mercado americano: foco nos derivativos e fundos negociados em bolsa. (Itaci Batista/Estadão Conteúdo)
Mercado americano: foco nos derivativos e fundos negociados em bolsa. (Itaci Batista/Estadão Conteúdo)
B
BloombergPublicado em 04/08/2022 às 16:44.

O mercado de crédito nos Estados Unidos tem se voltado principalmente para derivativos e fundos negociados em bolsa.

O nível de atividade de negociação do Markit North American CDX Investment Grade Index, ou CDX IG, uma cesta de swaps que protegem contra calote de crédito, disparou. O volume médio diário até agora em 2022 foi de cerca de US$ 22,6 bilhões, ante US$ 12,5 bilhões no mesmo período do ano passado. Investidores e operadores geralmente procuram ganhar — ou diminuir — exposição rapidamente com esses ativos.

Acompanhe de perto as notícias de economia com a EXAME. Assine por menos de R$ 0,37/dia.

Hedging Up | Credit derivative trading increases substantially in 2022

Fonte: Bloomberg

Por outro lado, até julho, o volume de negociação de títulos corporativos americanos atingiu uma média de US$ 39,3 bilhões por dia, uma queda de 1,5% ano a ano, de acordo com dados da Securities Industry and Financial Markets Association.

“A negociação de títulos é bastante estável em diferentes ambientes de mercado, enquanto a negociação de derivativos e ETFs aumenta em períodos de mercado fracos”, disseram estrategistas do JPMorgan liderados por Eric Beinstein em nota na quinta-feira. Uma análise recente do JPMorgan descobriu que, desde 2000, o nível de negociação do CDX IG foi 31% mais alto do que a média nas semanas em que o S&P 500 caiu 2% ou mais.

LEIA TAMBÉM: Desemprego na Europa, Focus pré-Copom, reação à Raia Drogasil e o que mais move o mercado

“A conclusão é que alguns investidores correm para se proteger quando os mercados estão enfraquecendo, e outros estão dispostos a assumir o outro lado desse negócio”, escreveu Beinstein.

Com muitos investidores fazendo apostas macro agora, pode haver mais oportunidades para encontrar títulos individuais mal precificados. E depois que os índices de derivativos subiram por semanas, eles podem ser uma boa ferramenta para se proteger contra desacelerações, de acordo com estrategistas do Barclays.

O spread do CDX IG encolheu cerca de 0,2 ponto percentual desde meados de junho, superando o desempenho do índice de títulos de grau de investimento da Bloomberg durante esse período, de acordo com uma análise do Barclays. Os spreads do índice estão em geral apertados em relação aos títulos corporativos subjacentes, disse o banco.

Esse estreitamento significa que os investidores podem proteger o crédito de grau de investimento de forma relativamente barata comprando proteção através do índice agora, disse o estrategista Jigar Patel. E dado que o banco disse no início de julho que espera que os spreads dos títulos corporativos atinjam níveis recessivos este ano, a proteção pode fazer sentido.

Por Jack Pitcher

(Bloomberg)

LEIA TAMBÉM:

Credit Suisse estuda cortar milhares de vagas em corte de custos

Metade das espécies em estado de conservação desconhecido pode desaparecer

Como aproveitar a renda fixa antes que o momento de juros altos mude?