Economia

Macron critica visão de que Europa deve suprimir demanda para controlar inflação

O líder francês argumentou que, ao contrário dos Estados Unidos, o continente europeu não enfrenta um quadro de "superaquecimento da economia"

Macron: "A inflação é importada de fora, não está ligada à demanda excessiva" (AFP/AFP)

Macron: "A inflação é importada de fora, não está ligada à demanda excessiva" (AFP/AFP)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 18 de outubro de 2022 às 08h52.

O presidente da França, Emmanuel Macron, criticou a visão de que a destruição da demanda é necessária para controlar a escalada inflacionária na Europa. "A inflação é importada de fora, não está ligada à demanda excessiva", afirmou, em entrevista ao jornal Les Echos.

O líder francês argumentou que, ao contrário dos Estados Unidos, o continente europeu não enfrenta um quadro de "superaquecimento da economia", com espiral dos salários.

Os comentários acontecem em meio ao processo de aperto monetário do Banco Central Europeu (BCE), que em julho subiu juros pela primeira vez desde 2011, com um ajuste de 0,50 ponto porcentual. No encontro seguinte, em setembro, a instituição intensificou a dose e aumentou suas taxas básicas em 0,75 ponto porcentual, sinalizando novas elevações no horizonte.

Veja também: 

 

Acompanhe tudo sobre:economia-internacionalEmmanuel MacronFrançaInflaçãoUnião Europeia

Mais de Economia

Alckmin destaca compromisso do governo com o arcabouço fiscal

Haddad diz que Brasil é uma “encrenca”, mas que tem potencial de ser “grande”

Brasil está pronto para acordo Mercosul e União Europeia, diz Lula

Nova presidente da Petrobras troca três dos oito diretores da estatal

Mais na Exame