Economia

Haddad diz que crédito para compra de bens materiais a moradores do RS deve ser amplo

Ministro encaminhou à Casa Civil um PL sobre crédito subsidiado que será ofertado à população do estado gaúcho afetada pelas enchentes

Fernando Haddad, ministro da Fazenda (Hollie Adams/Getty Images)

Fernando Haddad, ministro da Fazenda (Hollie Adams/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 8 de maio de 2024 às 14h50.

Última atualização em 8 de maio de 2024 às 14h56.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta quarta-feira 8, que a medida de estruturação de linhas de crédito especiais para a população do Rio Grande do Sul deve ser "ampla" em relação aos bens materiais que poderão ser financiados.

Haddad não detalhou quais produtos estariam incluídos, mas disse que o momento exige uma providência "abrangente", permitindo uma avaliação posterior mais concreta sobre o que efetivamente será necessário.

"É amplo, primeiro, temos de fazer medida ampla para depois fazer avaliação concreta sobre o que vai precisar. Mas, assim, pelo que estamos vendo no noticiário, imagens deixam claro que muitas vezes estamos falando de reconstrução de uma vida toda. Precisamos ter muito cuidado, claro, acompanhamento, transparência, já falei que conversei com o presidente do TCU sobre isso, mas a tragédia exige providência mais abrangente", disse Haddad a jornalistas, ao ser questionado sobre que tipos de bens materiais estão sendo considerados.

O ministro encaminhou na terça-feira, 7, à Casa Civil um projeto de lei sobre crédito subsidiado que será ofertado à população do estado gaúcho afetada pelas enchentes.

Há ainda uma proposta que trata da suspensão da dívida do Rio Grande do Sul com a União.

Acompanhe tudo sobre:Enchentes no RSRio Grande do SulChuvas

Mais de Economia

Presidente da Petrobras afirma que Lula demandou que empresa apoie o desenvolvimento do país

Agência Internacional de Energia prevê diminuição de demanda por petróleo em 2024 e 2025

PIB do G20 ganha força e cresce 0,9% no 1º trimestre de 2024, afirma OCDE

Catástrofes naturais e falhas de IA lideram ranking de 7 riscos para seguros, veja lista

Mais na Exame