Economia

Economia da Alemanha registra contração no terceiro trimestre

O resultado superou as expectativas dos analistas, que projetavam uma contração de 0,2%

Alemanha: Produto Interno Bruto (PIB) registrou contração de 0,1% na comparação com o trimestre anterior (AFP/AFP)

Alemanha: Produto Interno Bruto (PIB) registrou contração de 0,1% na comparação com o trimestre anterior (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 30 de outubro de 2023 às 10h06.

A economia da Alemanha registrou leve contração no terceiro trimestre, segundo os dados oficiais publicados nesta segunda-feira, 30, que mostram que a maior economia da Europa continua prejudicada pelas taxas de juros elevadas, os preços da energia e a desaceleração do setor industrial.

O Produto Interno Bruto (PIB) registrou contração de 0,1% na comparação com o trimestre anterior, segundo os dados preliminares do instituto federal de estatísticas Destatis.

O resultado superou as expectativas dos analistas, que projetavam uma contração de 0,2%.

Alta de dados

Além disso, o Destatis revisou em alta os dados do primeiro e segundo trimestres: entre janeiro e março a economia do país ficou estagnada e não registrou contração, como anunciou o instituto em um primeiro momento, o que significa que a Alemanha conseguiu evitar a recessão técnica, definida como dois trimestre consecutivos com queda do PIB.

O instituto também atualizou o resultado do segundo trimestre: o PIB registrou um leve crescimento 0,1% e não uma estagnação, como sugeriram os dados preliminares.

A Alemanha atualizou suas previsões no início de outubro e anunciou que espera uma contração de 0,4% da economia em 2023. O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta que o país será a única nação desenvolvida com queda do PIB em 2023.

Acompanhe tudo sobre:Alemanhaeconomia-internacional

Mais de Economia

EUA: Fed deve reduzir capital exigido a bancos em proposta regulatória

China anuncia investigação antidumping sobre produtos químicos importados da UE e dos EUA

Após pedido do governo, Zanin suspende liminar que reonera a folha de pagamentos por 60 dias

Haddad: governo anuncia na próxima semana medidas sobre impacto e compensação da desoneração

Mais na Exame