Doria retoma plano de concessões que inclui trem regional SP-Campinas

Boa parte dos projetos já tinham sido anunciados pelo governo de SP em anos anteriores. A previsão é de 36 bilhões em investimentos

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira, 16, um plano com 19 concessões, privatizações e parcerias com a iniciativa privada para o estado nos próximos dois anos. Chamado de Retomada 21/22, o projeto promete investimentos no valor de 36 bilhões de reais e a geração de 2 milhões de empregos ao longo deste período. Boa parte dos projetos já tinham sido anunciados em 2018 e 2019.

Entre as concessões previstas estão 19 projetos nas áreas de transporte público, rodovias, lazer e parques. A maior parte do investimento, 51%, será no setor de transportes, com destaque para dois projetos: a concessão das linhas 8 e 9 da CPTM, com valor de 500 milhões de dólares, e um trem regional de baixa velocidade, ligando a cidade de São Paulo e Campinas, com um investimento de 1,4 bilhão de dólares.

Não é a primeira vez que o governo de São Paulo fala de um trem que ligaria as duas cidades paulistas. Em agosto do ano passado, secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, falou que uma linha férrea estaria em estudo, a um custo de 1 bilhão de reais, na época. Ainda em 2020, Doria chegou a mencionar a intenção de fazer um trem no mesmo modelo do que liga Miami, nos Estados Unidos, a cidades vizinhas.

Dentro do plano há ainda a concessão de 22 aeroportos regionais à iniciativa privada, concessão de rodovias, do Zoológico e Jardim Botânico, além do Complexo do Ibirapuera. Todo o plano foi detalhado pelo secretário da Fazenda e do Planejamento, Henrique Meirelles, sem mostrar, no entanto, o cronograma de todos os projetos de concessões.

“O objetivo do plano é promover crescimento econômico, gerar emprego e renda. Seja em investimento nacional ou multinacional. Os editais serão informados oportunamente, ao longo das próximas semanas e meses”, disse o governador João Doria em entrevista no Palácio dos Bandeirantes nesta sexta-feira.

Para atrair estes 36 bilhões de reais, São Paulo vai fazer uma campanha internacional. De acordo com o governo, serão instalados escritórios na China e nos Emirados Árabes, além de conversas com investidores da Europa e Estados Unidos.

Ajuste fiscal

Além do projeto, o governador João Doria mencionou a proposta de ajuste fiscal, enviada pelo executivo estadual à Assembleia Legislativa de São Paulo. Nesta semana, os deputados aprovaram o texto-base da proposta, após várias críticas até de aliados e o governo ceder em alguns pontos.

Entre as propostas que passaram, está um  um plano de demissão voluntária incentivada que pode atingir cerca de 5.000 servidores estaduais, a extinção de fundações e estatais. O objetivo com o pacote, no texto original, era de uma economia de 8,8 bilhões de reais no orçamento do estado.

Apesar da aprovação, ainda falta analisar o restante do pacote, com os destaques feitos pelos deputados. A nova sessão ainda não foi marcada.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.